"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém" Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios

"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém [...]". (Carta do Apóstolo Paulo aos cristãos. Coríntios 6:12) Tudo posso, tudo quero, mas eu devo? Quero, mas não posso. Até posso, se burlar a regra; mas eu devo? Segundo o filósofo Mário Sérgio Cortella, ética é o conjunto de valores e princípios que [todos] usamos para definir as três grandes questões da vida, que são: QUERO, DEVO, POSSO. Tem coisas que eu quero, mas não posso. Tem coisas que eu posso, mas não devo. Tem coisas que eu devo, mas não quero. Cortella complementa "Quando temos paz de espírito? Temos paz de espítito quando aquilo que queremos é o que podemos e é o que devemos." (Cortella, 2009). Imagem Toscana, Itália.















terça-feira, 12 de abril de 2011

As Classes Sociais de Karl Marx e os Fatos Sociais de Émile Durkheim

ÉMILE DURKHEIM E OS FATOS SOCIAIS

Fundador da sociologia, Durkheim combinou a pesquisa empírica com a teoria sociológica. Sua contribuição tornou-se ponto de partida do estudo de fenômenos sociológicos como a natureza das relações de trabalho, os aspectos sociais do suicídio e as religiões primitivas.
Émile Durkheim nasceu em Épinal, Vosges, em 15 de abril de 1858. Estudou em Paris e interessou-se por filosofia. Em 1887 assumiu a primeira cadeira de sociologia instituída na França. Quatro obras capitais: (1893 - Da divisão do trabalho social) e (1895 - As regras do método sociológico). Na primeira, analisa o problema da ordem num sistema social de individualismo econômico. Na segunda, define fato social e esquematiza a trama metodológica com que estudou os fenômenos sociais.
Para Durkheim a sociedade prevalece sobre o indivíduo. A sociedade é para esse autor, um conjunto de normas de ação, pensamento e sentimento que não existem apenas nas consciências dos indivíduos, mas que são construídas exteriormente, isto é, fora da consciência individuais. Em outras palavras, na vida em sociedade o homem defronta com regras de conduta que não foram diretamente criadas por ele, mas que existem e são aceitas na vida em sociedade, devendo ser seguidas por todos. Sem essas regras, a sociedade não existiria, e é por isso que os indivíduos devem obedecer a elas. As leis são um bom exemplo do raciocínio de Durkheim. Em toda sociedade existem leis que organizam a vida em conjunto. O indivíduo isolado não cria leis nem pode modifica-las. São as regras de homens que vão criando e reformulando coletivamente as leis. Essas leis são transmitidas para as gerações seguintes na forma de códigos, decretos, constituições, etc. Como indivíduos isolados, temos de aceita-las, sob pena de sofrer castigos por violá-los.
Assim, Durkheim afirmará que os fatos sociais, ou seja, o objeto de estudo da Sociologia, são justamente essas regras e normas coletivas que orientam a vida dos indivíduos em sociedade. Tais fatos sociais são diferentes dos fatos estudados por outras ciências por terem origem na sociedade, e não na natureza (como nas ciências naturais) ou no indivíduo (como na Psicologia).
Esses fatos sociais têm duas características básicas que permitirão sua identificação na realidade: são exteriores e coercitivos. Exteriores, porque  consistem em idéias, normas ou regras de conduta que não são criadas isoladamente pelos indivíduos, mas foram criadas pela coletividade e já existem fora de nós quando nascemos.
Coercitivos, porque essas ideias, normas e regras devem ser seguidas pelos membros da sociedade. Se isso não acontece, se alguém desobedece a elas, é punido, de alguma maneira, pelo resto do grupo.
É justamente a educação um dos exemplos preferidos por Durkheim para mostrar o que é um fato social. O individuo, segundo ele, não nasce sabendo previamente as normas de conduta necessárias para a vida em sociedade. Por isso, toda sociedade tem de educar seus membros, fazendo com que aprendam as regras necessárias à organização da vida social. As gerações adultas transmitem às crianças e aos adolescentes aquilo que aprenderam ao longo de sua vida em sociedade. Com isso, o grupo social é perpetuado, apesar da morte dos indivíduos.
O que a criança aprende na escola? Idéias, sentimentos e hábitos que ela não possui quando nasce, mas que são essenciais para a vida e sociedade. A linguagem, por exemplo, é aprendida, em grande medida, na escola. Ninguém nasce conhecendo a língua de seu país. É necessário um aprendizado, que começa já nos primeiros dias de vida e se prolonga no decorrer dos muitos anos na escola, pra que a criança consiga se comunicar de maneira adequada com seus semelhantes. Sem o aprendizado da linguagem, a criança não poderia participar da vida em sociedade.
Outro conceito importante para Durkheim é o de instituição. Para ele, uma instituição é um conjunto de normas e regras de vida que se consolidam fora dos indivíduos e que as gerações transmitem umas às outras. Há ainda muitos outros exemplos de instituições: a Igreja, o Exército, a família, etc.
Assim, para Durkheim é uma sociedade, como coletividade, que organiza, condiciona e controla as ações individuais. O individuo aprende a seguir normas e regras de ação eu lhe são exteriores ou seja, que não foram criadas por ele e são coercitivas limitam sua ação e prescrevem punições para quem não obedecer aos limites sociais. As instituições socializam os indivíduos, fazem com que eles assimilem as regras e normas necessárias à vida em comum.
As ideias de Durkheim acerca da sociedade também irão leva-lo a propor um certo método para a sociologia. O método de uma ciência consiste no conjunto de regras que o pesquisador deve seguir para realizar, de maneira correta suas pesquisas. Como Durkheim enfatiza o caráter exterior e coercitivo dos fatos sociais, ele colocará como regra básica de seu método que o pesquisador deve analisar os fatos sociais como se eles fossem coisas, isto é, como se fossem objetos que existem independentemente de nossas idéias e vontades. Com isso, ele enfatiza a posição de neutralidade e objetividade que o pesquisador deve ter em relação à sociedade: ele deve descrever a realidade social, sem deixar que suas ideias e opiniões interfiram na observação dos fatos sociais.
O fato social é experimentado pelo indivíduo como uma realidade independente que ele não criou e não pode rejeitar como as regras morais, leis, costumes, rituais e práticas burocráticas oficiais, entre outras. Partindo da exterioridade dos fatos sociais, Durkheim abordou a sociedade como um fato sui generis e irredutível a outros, compreendendo-a como um conjunto de ideais constantemente alimentados pelos indivíduos que fazem parte dela. Dessa forma, conceituou a consciência coletiva como o "sistema das representações coletivas de uma dada sociedade". A linguagem, por exemplo, é uma representação coletiva, assim como os sistemas jurídicos e as obras de arte.
Na análise dos sistemas sociais, Durkheim introduziu os conceitos de solidariedade mecânica e orgânica, que o levaram à distinção dos principais tipos de grupos sociais. A solidariedade mecânica ocorre nas sociedades primitivas, nas quais os indivíduos diferem pouco entre si e partilham dos mesmos valores e sentimentos. A orgânica, presente nas sociedades mais complexas se define pela divisão do trabalho.
O estudo das sociedades mais complexas levou Durkheim às ideias de normalidade e patologia sociais, a partir das quais introduziu o conceito de anomia, ou seja, ausência ou desintegração das normas sociais. Como as sociedades mais complexas se baseiam na diferenciação, é preciso que as tarefas individuais correspondam aos desejos e aptidões de cada um. Isso nem sempre acontece e a sociedade se vê ameaçada pela desintegração, pois os valores ficam enfraquecidos. A solução proposta por Durkheim são as formas cooperativistas de produção econômica.
Em sua obra (1897 - O suicídio), tentou mostrar que as causas do auto-extermínio têm fundamento social e não individual. Descreveu três tipos de suicídio: o egoísta, em que o indivíduo se afasta dos seres humanos; o anômico, originário, por parte do suicida, da crença de que todo um mundo social, com seus valores, normas e regras, desmorona-se em torno de si; e o altruísta, por lealdade a uma causa.
Na última de suas quatro obras capitais, (1915 - As formas elementares da vida religiosa), buscou mostrar as origens sociais e cerimoniais, bem como as bases da religião, sobretudo do totemismo na Austrália. Afirmou que não existem religiões falsas, que todas são essencialmente sociais. Émile Durkheim morreu em Paris em 15 de novembro de 1917.

KARL MARX E AS CLASSES SOCIAIS

O pensador alemão Karl Marx (1818-1883) também contribuiu para a discussão da relação entre indivíduo e sociedade. Diferentemente de Durkheim e Weber, considerava que não se pode pensar a relação indivíduo-sociedade separadamente das condições materiais em que essas relações se apóiam. Para ele, as condições materiais de toda a sociedade condicionam as demais relações sociais. Em outras palavras, para viver, os homens têm de, inicialmente, transformar a natureza, ou seja, comer, construir abrigos, utensílios, etc., sem o que não poderiam existir como seres vivos. Por isso, o estudo de qualquer sociedade deveria partir justamente das relações sociais que os homens estabelecem entre si pra utilizar os meios de produção e transformar a natureza. Essas relações sociais de produção são a base que condiciona todo o resto da sociedade. Para Marx, portanto, a produção é a raiz de toda a estrutura social. Na sociedade antiga, por exemplo, a relação social básica era a relação senhor-escravo. Não podemos, segundo Marx, entender a política ou a cultura dessa época sem primeiramente estudar essa relação básica que condicionava todo o resto da sociedade.
Mas o objetivo maior de Marx não era elaborar uma tória geral sobre a sociedade, e sim estudar a sociedade de seu tempo – a sociedade capitalista. Segundo Marx, na sociedade capitalista as relações sociais de produção definem dois grandes grupos dentro da sociedade: de um lado os capitalistas que são aquelas pessoas que possuem os meios de produção (máquinas, ferramentas, capital, etc.) necessários pra transformar a natureza e produzir mercadorias; do outro, os trabalhadores, também chamados, no seu conjunto, de proletariado, aqueles que nada possuem, a não ser o seu corpo e a sua disposição para trabalhar. A produção na sociedade capitalista só se realiza porque capitalistas e trabalhadores entram em relação. O capitalista paga ao trabalhador um salário par que trabalhe para ele e, no final da produção, fica com o lucro (nos próximos capítulos será discutido o conceito de mais- valia). Esse tipo de relação entre capitalista e trabalhadores leva à exploração do trabalhador pelo capitalista. Por isso, Marx considerava que havia um permanente conflito entre essas duas classes -  conflito que não é possível resolver dentro da sociedade capitalista.
Assim, o conceito de classe em Marx estabelece um grupo de indivíduos que ocupam uma mesma posição nas relações de produção, em determinada sociedade. A classe a que pertencemos é que condiciona, de maneira decisiva, nossa atuação social. Lembremos nosso exemplo de greve: patrão e empregado eram amigos, mas no momento em que ocorre a greve, quando do conflito entre as classes se torna evidente, eles ficam em lados diferentes. Nesse sentido, é principalmente a situação de classe que condiciona a existência do indivíduo e sua relação com o resto da sociedade. Podemos compartilhar idéias e comportamentos de indivíduos de outras classes, mas nos momentos de conflito, como nas greves, as diferenças irão aparecer de acordo com a classe a que pertencemos.
Em termos de método, Marx enfatiza que o pesquisador não deve se restringir à descrição da realidade social, mas deve também se ater à análise de como essa realidade se produz e se reproduz ao longo da história. Por exemplo, em relação às classes sociais existentes – a capitalista e a dos trabalhadores -, mas é preciso mostrar a maneira como essas classes surgiram na história, com o conflito entre elas se mantém e quais as possibilidades de transformação da realidade social, o cientista social pode desempenhar um papel político revolucionário, ao tomar partido da classe trabalhadora. Por isso, em Marx, a ciência tem um papel político necessariamente crítico em relação à sociedade capitalista, devendo se um instrumento não só de compreensão, mas também de transformação da realidade.
Através da exposição rápida dos conceitos desses três autores, podemos perceber que eles estavam tentando compreender a sociedade de sua época, e par isso elaboraram e utilizaram conceitos como os de fato social, ação social e classe social. De alguma maneira todos estavam interessados em pensar a relação entre indivíduo e sociedade no mundo moderno. As explicações a que chegaram, porém, são bastante diferentes, dependendo do que é estabelecido como central: se o indivíduo, se a sociedade ou se a relação entre ambos.
A partir dos conceitos sociológicos vistos anteriormente, podemos abordar de uma nova maneira as situações e os problemas da vida cotidiana, trabalhando com esses conceitos, não mais estaremos no campo do senso comum, mas no da ciência. Por Renato Cancian.

62 comentários:

  1. Prezados alunos,

    O trabalho que segue à leitura, deve contemplar uma análise crítica das visões de Émile Durkheim e Karl Marx, cada um com seu objeto de estudos definido.
    Analisem e comentem separadamente cada um dos autores.
    No caso de Durkheim vale ressaltar a questão dos Fatos Sociais, a "anomia" social - preocupação de Durkheim; a coercitividade, a generalidade e a exterioridade dos Fatos Sociais, bem como o papel do cientista social.
    No caso de Marx, vale abordar a questão das classes sociais - objeto de estudo de Marx, a alienação, a mais-valia, a ideologia e o papel do cientista social.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veronica Carolina de Souza Aires n° 39 turma 100113 ENGENHARIA AMBIENTAL

      Durkhein
      Os fatos sociais são maneiras de agir e de pensar - que incluem as instituições, crenças, práticas, que eventualmente cristalize e limite as formas possíveis de ações dos indivíduos.Durkheim estava sempre preocupado com a disciplina científica diferente da biologia e da psicologia:Sociologia = ciência da sociedade; Psicologia = ciência do indivíduo.
      Nem tudo que uma pessoa faz é um fato social, para ser um fato social tem de atender a três características: generalidade, exterioridade e coercitividade. Isto é, o que as pessoas sentem, pensam ou fazem independente de suas vontades individuais, é um comportamento estabelecido pela sociedade é algo que já estava lá antes e que continua depois e que não dá margem a escolhasSe tudo na sociedade está interligado, qualquer alteração afeta toda a sociedade, o que quer dizer que se algo não vai bem em algum setor da sociedade, toda ela sentirá o efeito. Partindo deste raciocínio ele desenvolve dois dos seus principais conceitos: Instituição social e Anomia.
      A instituição social é um mecanismo de proteção da sociedade, é o conjunto de regras e procedimentos padronizados socialmente, reconhecidos, aceitos e sancionados pela sociedade, cuja importância estratégica é manter a organização do grupo e satisfazer as necessidades dos indivíduos que dele participam. As instituições são, portanto, conservadoras por essência, quer seja família, escola, governo, polícia ou qualquer outra, elas agem fazendo força contra as mudanças, pela manutenção da ordem.
      o ser humano necessita se sentir seguro, protegido . Uma sociedade sem regras claras "em estado de anomia"
      Marx
      As classes sociais, para Marx, surgem a partir da divisão social do trabalho. Em razão dela, a sociedade se divide em possuidores e não detentores dos meios de produção.EXISTEM a classe dominante e a classe dominada (ou seja, a dos trabalhadores). o trabalho alienadado é um mode escravização
      Alienação, para Marx, tem um sentido negativo em que o trabalho, ao invés de realizar o homem, o escraviza; ao invés de humanizá-lo, o desumaniza. Sobre a mais valia o trabalhador e pago por um periodo para trabalhar , independente do que ele produzir renda mais do que ele ganhe.defendia a derrabada do capitalismo

      Excluir
    2. nao dá nem pra ler ... ¬¬

      Excluir
    3. Durkheim - ele afirmava que a sociedade prevaleceia sobre o indivíduo, este estva sujeito a normas e leis que a sociedade aplicava, e estas leis e normas são fatos sociais qual foi objeto de estudo de Durkheim.
      Marx - com a criação de alguns conceitos, Marx reformulou o conceito de classe social, não pelo que este indivíduo fazia no processo produtivo, mas fazer este acreditar que fazia parte de uma classe, a partir daí acabou por elaborar novas teorias sobre classe social.
      Daniele Felix Cristiano - n° 9
      curso: Engenharia Ambiental
      Turma: 100113

      Excluir
  2. Émile Durkheim
    Para Durkheim os fatos sociais são os objetos de estudo da Sociologia. Compreendemos que esses objetos de estudo da sociologia são todas as normas e regras que devem ser cumpridas pela sociedade em geral, que é denominada coercitividade, caso não forem cumpridas geram punições. E são exteriores pois não foram criadas isoladamente, e sim pela coletividade. Ele tinha uma grande preocupação com a anomia social, a ausencia de regras, que organizam a sociedade.
    Durkheim via uma sociedade sem diferenciação social, ou seja não havia desigualdade e classes sociais, para ele uma sociedade "perfeita".
    Segundo Durkheim " o pesquisador deve analisar os fatos sociais como se eles fossem coisas, isto é, como se fossem objetos que existem independentemente de nossas idéias e vontades ". O cientista deve se manter neutro, e não demonstrar a sua opinião em suas pesquisas.
    Maria Carolina e Bruna

    ResponderExcluir
  3. Émile Durkheim
    - Fatos sociais definem-se como regras gerais a toda a sociedade, que ajudam as pessoas a ter melhor comunicação e desenvolvimento intelectual.
    - Anomia é quando a sociedade não funciona de forma organizada com base nisso, Durkheim se preocupava que isso pudesse ocorrer.
    - Logo que nascemos, temos o compromisso com a sociedade. E para que isso aconteça, somos regrados pelos adultos que possuem maiores experiências para passar a futura geração. Nisso nos baseamos nos conceitos da exterioridade social que acontece pelas regras de convívio e comportamento que são criadas pela sociedade ou coletividade, já existentes, logo no primeiro contato com o mundo e também a coercitividade, onde essas regras devem ser seguidas pelos membros da sociedade e caso não aconteça, esse alguém será punido, de alguma maneira, pelo resto do grupo.
    - A sociologia, ao ser estudada tem de ser registrada a partir do ponto de vista de que na sociedade não há nenhum tipo de problema e sem deixar que suas ideias e opiniões interfiram nos conceitos da vida não como indivíduo mas sim, o coletivo.

    Carolina Gil e Bárbara Arenas,3º ano.

    ResponderExcluir
  4. Émile Durkheim..
    Podemos compreender a partir da visão conservadora de Durkheim "que os fatos sociais, ou seja, o objeto de estudo da Sociologia, são justamente regras e normas coletivas que orientam a vida dos indivíduos em sociedade". Com isso é perceptível entender que as pessoas precisam se encaixar na sociedade e as que não se encaixarem serão punidas pelas regras da sociedade. A partir destas ideias, Durkheim pensou na possibilidade de existir uma sociedade anômica, ou seja uma sociedade de desintegração das normas sociais. Com sua visão conservadora ele atribuiu aos fatos sociais, as regras básicas de permissão a identificação da realidade, esses são: exteriores e coercitivos, que no caso identifica que os cidadãos precisam viver em coletividade e não individualmente, e que já existe um mundo lá fora, onde os membros da sociedade precisam seguir regras. O papel do cientista social neste caso, é que ele precisa ter uma visão perfeita da sociedade, não podendo criticá-la ou mudá-la.
    Rebeca, Isabela Gonzales e Felipe 3º EM

    ResponderExcluir
  5. Durkheim foi um dos maiores filósofos da história. Este acreditava que as pessoas eram todas iguais, sem diferenças sociais; para Émile, a sociedade prevalece sobre o indivíduo.
    Já Karl Marx enfatiza as classes sociais existentes no capitalismo quanto aos trabalhadores, estudando toda a sociedade em seu tempo.

    Diego Fabri e Girrad Mazon

    ResponderExcluir
  6. EMILE DURKHEIM
    Segundo Durkheim, os fatos sociais constituem o objeto de estudo da Sociologia pois decorrem da vida em sociedade, ele defende que estes têm três características:
    - Coercitividade é a obrigação do indivíduo a seguir determinada orientação, conceito ou norma já preestabelecida pela sociedade.
    - Generalidade são os fatos sociais existentes não apenas para um indivíduo específico, mas para a coletividade.
    - Exterioridade transmite o fato desses conceitos ou normas de cultura serem exteriores aos indivíduos, ou seja, ao fato de virem do exterior e de serem independentes das suas consciências.
    A anomia era a grande inimiga da sociedade, algo que devia ser vencido, e a sociologia era o meio para isso. Na tentativa de “curar” a sociedade da ANOMIA, Durkheim escreve “A divisão do trabalho social na problematica budista”, onde ele descreve a necessidade de se estabelecer uma solidariedade orgânica entre os membros da sociedade. A solução estaria em, seguindo o exemplo de um organismo biológico, onde cada orgão tem uma função e depende dos outros para sobreviver, se cada membro da sociedade exercer uma função na divisão do trabalho, ele será obrigado através de um sistema de direitos e deveres, e também sentirá a necessidade de se manter coeso e solidário aos outros. O papel do sociólogo seria portanto estudar, entender e ajudar a sociedade.

    Larissa Atademo e Giovanna Lamos 3ºEM

    ResponderExcluir
  7. Karl Marx
    Diferentemente de Durkheim, Marx acreditava que na sociedade havia diferenciação social, surge com ele o conceito de classes sociais " um grupo de indivíduos que ocupam uma mesma posição nas relações de produção, em determinada sociedade". Dentro das classes socias há duas grandes divisões, o capitalista e o proletariado que originou a acentuada desigualdade social na sociedade capitalista.
    Uma das maiores causas dessa desigualdade é a mais-valia, que consiste em uma prática utilizada pelos capitalistas para aumentar a sua margem de lucro.
    Uma das maiores preocupações de Marx era a alienação do trabalhador no processo de produção industrial.
    Segundo Marx " o pesquisador não deve se restringir à descrição da realidade social, mas deve também se ater à análise de como essa realidade se produz e se reproduz ao longo da história" ao contrário de Durkheim que por acreditar em uma sociedade perfeita não há motivo para críticas. Marx defendia que o cientista social deveria colocar sua ideologia nos seus estudos.
    Maria Carolina e Bruna

    ResponderExcluir
  8. KARL MARX

    Para Marx, classe social é definida objetivamente pela posição que a pessoa ocupa na estrutura de produção. No modelo puro só existem duas opções possíveis: ou a pessoa possui os meios de produção e pertence a classe capitalista ou não possui e pertence à classe operária. Não é a renda que determina a posição da pessoa na hierarquia social, é a posição da pessoa na estrutura de produção que determina sua faixa de renda.
    È chamada de alienação do trabalho é o fato de o trabalhador não se enxergar na mercadoria que ele mesmo produziu, ou seja, o trabalhador é separado do produto final de seu trabalho.O que mantém esse processo de alienação é primeiramente o fato de o capitalista possuir os meios de produção, á propriedade privada dos meios de produção, uns possuem e outros não.E segundo pq, como o trabalhador não possui seus próprios meios de produção, ele precisa vender a única propriedade que lhe pertence, a força de trabalho, para assim poder sustentar a família.Dessa forma o trabalhador depende do capitalista para sobreviver, ele precisa que o capitalista compre a sua força de trabalho.
    Mais-valia é o nome dado por Karl Marx à diferença entre o valor produzido pelo trabalho e o salário pago ao trabalhador, que seria a base da exploração no sistema capitalista. Os capitalistas, uma vez pago o salário de mercado pelo uso da força de trabalho, podem lançar mão de duas estratégias para ampliar sua taxa de lucro: estender a duração da jornada de trabalho mantendo o salário constante - o que ele chama de mais-valia absoluta; ou ampliar a produtividade física do trabalho pela via da mecanização - o que ele chama de mais-valia relativa.
    Idealizava uma sociedade com uma distribuição de renda justa e equilibrada. Defendia a idéia de que a classe trabalhadora deveria unir-se com o propósito de derrubar os capitalistas e aniquilar de vez a característica abusiva deste sistema que, segundo ele, era o maior responsável pelas crises que se viam cada vez mais intensificadas pelas grandes diferenças sociais, pois, segundo ele, o excedente originado pelos trabalhadores acaba sempre nas mãos dos capitalistas, classe que fica cada vez mais rica as custas do empobrecimento do proletariado.
    Era um sociólogo crítico. Acreditava no fim das propriedades privadas nos meios de produção. Para este, a história não é uma mera seqüência casual de acontecimentos, mas um suceder racional que se desenvolve segundo um princípio imanente, ou seja, uma dialética interna.

    Larissa Atademo e Giovanna Lamos 3ºEM

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. obrigada ^^
      pois aprendi um poukinho da historia de Karl Marx

      Excluir
  9. Karl Marx
    - Para Marx, o conceito de classe social é que cada determinado grupo tem uma posição fixa dentro de uma sociedade.
    - O pensamento de Marx sobre a sociedade baseava-se que a perfeição imaginada por Durkheim era alienada demais enquanto na realidade, a sociedade tem que ser encarada com igualdade.
    - Com a visão do mundo capitalista ,Marx criou a mais-valia que é a diferença entre o valor do trabalho e o salário pago ao trabalhador.
    - A percepção sobre a sociologia seria que devemos ter um olhar crítico em relação à sociedade capitalista,para que com isso possamos obter resultados quem transformem a realidade.

    Carolina Gil e Bárbara Arenas,3ºano.

    ResponderExcluir
  10. Karl Marx

    A partir da visão realista de Marx, entendemos que as classes sociais são “estabelecida a partir de um grupo de indivíduos que ocupam uma mesma posição nas relações de produção, em determinada sociedade.” Com isso, Marx se esforça em defender a sociedade socialista, para que não haja diferença social, porém, isto é impossível, devido queda da URSS. Isso acabou gerando uma alienação no modo de produção, pois na visão marxista, o trabalhador é predestinado á apenas executar e não pensar, isso fez com que os trabalhadores não conseguissem perceber que eles estão “perdendo uma parte de sua produção”, pois apenas os patrões se beneficiam com esse aumento da produtividade, gerando um aumento super significante nos lucros, em outras palavras, isso seria a mais –valia. Já o que podemos compreender com o papel social deste cientista, é que ele consegue enxergar os “defeitos” das sociedades, gerando assim, criticas e mudanças favoráveis a sociedade.

    Rebeca, Isabela Gonzales e Felipe 3ºEM

    ResponderExcluir
  11. Veja Bem Marilia,
    Seus textos são muito light, gostaria que você abordasse uma questão mais promissora,meus superiores viram seu blog e acharam que hávia muita pouca informação. Aprenda a ser um pouco menos preservada e um pouco mais agressiva, pois eu sinceramente não gostei deste texto. Faltou muitos detalhes, Um texto por ser grande não quer dizer que aborda a amplitude do assunto.

    ResponderExcluir
  12. Meu caro ou cara, quando criei meu blog a única ideia que não me veio à mente foi a de agradar a todos. Não tenho essa pretensão, mesmo porque nas Ciências Humanas, em muitos casos, as abordagens não são passíveis de consenso, pois carregam consigo um conteúdo de valores ideológicos. Não aceitarei suas provocações. Não estou aqui para angariar seguidores, pois não participo de nenhuma seita. Neste caso, não tenho superiores. Respeito sua opinião, aliás, me elevo com suas críticas.
    Só não me elevo com seus erros de ortografia, acentuação, concordância e formatação. Há que se ter um certo rigor ao escrever um texto, principalmente se ele for publicado na web. Mas você tomou o cuidado de não se identificar. Não correrá o risco de ser criticado, mas, também, não se elevará.
    Aliás, vou usar uma fala de um grande filósofo brasileiro, o qual tive a honra de ser aluna por dois semestres, que diz "[...] que tem gente que esquece que você não precisa diminuir o outro para crescer. Uma pessoa humilde é aquela que não diminui o outro para crescer. Há pessoas que são tão arrogantes, que só conseguem se elevar se elas diminuírem a outra pessoa; e a pessoas inteligentes que crescem junto com o outro. Mas veja bem, a noção de pequeno não se aplica exclusivamente à humildade." Cortella, Mário Sérgio.
    Sucesso!
    Marilia Coltri.

    ResponderExcluir
  13. Cara Marilia,
    Seu Blog para mim é uma inspiração. Eu sempre o leio e peço para que meus alunos tambem o façam.
    Em todas as provas eu utilizo seus textos.
    Você está de parabéns!
    Assinado Ludmila Carvalho de Santos, professora da Unicamp.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito obrigada, Ludmila; fico honrada com sua participação e de seus alunos também.
      Um forte abraço,
      Marilia Coltri.

      Excluir
  14. Durkheim diz que os fatos sociais são gerais e coercitivos, pois consitem em ideias, normas ou regras de conduta que foram criadas pela coletividade e já existem fora de nós.Essas ideias devem ser seguidas por todos os membros da sociedade, quem ás desobedece é punido.
    Para Marx a alienação objetiva é a realidade alienante e a alienação subjetiva e o sentimento de um sujeito privado de algo que lhe é próprio.
    Para Durkheim fatos sociais são ideias, normas de conduta para todos os membros de uma sociedade. E para Marx classe social é um grupo de indivíduos que ocupam uma mesma posição nas relações de produção em uma determinada sociedade.

    Raíssa e Nicole 3ºem

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pelo belo blog e continue com esse brilhante trabalho.

    ResponderExcluir
  16. Obrigada Edenilson, pelo acesso e por seu comentário. Um abraço, Marilia Coltri.

    ResponderExcluir
  17. Marília, muito bom o seu blog. Seus textos me esclareceram bastantes dúvidas.

    Abraço.

    ResponderExcluir
  18. Cara amiga, manda no meu e-mail um texto falando da Etica na concepção de Karl Marx

    por favor amiga,
    estudante na pesquisa
    nilmendes_ira@hotmail.com
    quem lê este comentario e quiser me ajudar sinta se a vontade.
    obrigada

    Iln

    ResponderExcluir
  19. Excelente texto Marília Coltri essa pessoa que lhe mandou essas palavras importunas, certamente é incapaz e invejosa. Gostei dá sua resposta

    ResponderExcluir
  20. Rita- Riachão do JAcuipe20 de janeiro de 2012 07:26

    Fiquei realmente chateada ao ver a crítica anônima.
    Marília faça das pedras o seu alicerce. Vá em frente seu blog para mim, estudante de Serviço Social é interessante, sempre acesso, busco seus textos para me basear. Existe pessoas que são como tambores. Só tem tamanho e zoada, quando abre é " oco". Siga em frente!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Rita, muito obrigada pelo incentivo, pela participação e pela sinceridade. Fico feliz que esteja apreciando. Um forte abraço à você e a todos de Riachão de Jacuipe.
      Marilia Coltri.

      Excluir
  21. Ola DESCULPE MAS ESSE FUNDO DO SEU BLOG, DIFICULTA A LEITURA DO TEXTO POIS FICA MUITO INVISIVEL AS LETRAS , VC PODERIA MUDAR O TEXTO É INTERESSANTE MAS COM ESSE FUNDO FICA DIFICIL, BLZ

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Desculpe-me! Já alterei a cor do texto. Realmente estava difícil para ler. Não havia atentado para o detalhe. Boa leitura, então!
      Marilia Coltri.

      Excluir
  22. Bruna de oliveira3 de abril de 2012 10:51

    Esta ai o comentário que vcê pediu para dar nota !

    Marx era um revolucionário. Sua verdadeira missão na vida era contribuir, de um modo ou de outro, para a derrubada da sociedade capitalista e das instituições estatais por estas suscitadas, contribuir para a libertação do proletariado moderno, que ele foi o primeiro a tornar consciente de sua posição e de suas necessidades, consciente das condições de sua emancipação.A luta era seu elemento. E ele lutou com uma tenacidade e um sucesso com quem poucos puderam rivalizar.
    Já Émile Durkheim procurou desenvolver o conceito de uma psique social: agimos em conjunto e em resposta a uma série de fatores sociais.
    Para ele, os fatos sociais se apresentam constantes em diversos períodos histórios e as realizações da humanidade apresentam compõe o seu fundamento.
    Ele destaca aqueles atos praticados culturalmente daqueles que constituem fenômenos persistentes no tempo. Assim, o suicío requer um estudo sociológico por ser recorrente em todas as civilizações e em todas as épocas.
    Ele considera os fatos sociológicos inerentes a constituição da sociedade: o crime é uma função do corpo social, assim deve ser entendido como necessário.

    Bruna de Oliveira .turma 100.113 n° 04
    engenharia ambiental

    ResponderExcluir
  23. Lidiani dos Santos. turma 100113 n:25
    Engenharia Ambiental


    Karl Marx defendia a idéia de que a classe trabalhadora deveria unir-se com o propósito de derrubar os capitalistas e aniquilar de vez a característica abusiva deste sistema que, segundo ele, era o maior responsável pelas crises que se viam cada vez mais intensificadas pelas grandes diferenças sociais.

    Durkheim defende que o melhor método para se explicar a função do “fato social” na sociedade, seria através da observação, de maneira semelhante ao adotado pelos cientistas naturais, levando-se em conta, entretanto, que o objeto do estudo dentro da Sociologia tem peculiaridades próprias, distintas dos fenômenos naturais. No entanto, acreditava ele que investigando-se as relações de causa e efeito e regularidade, poderia se chegar a descoberta de leis, que determinassem a existência de um “fato social” qualquer e que por conseguinte, determinaria, este, a ação dos indivíduos.

    ResponderExcluir
  24. Grazieli dos Santos. Turma 100.113 n:22
    Engenharia Ambiental


    Émile Durkheim propõe a passagem de uma sociedade mecânica – na qual o indivíduo tem sua individualidade anulada em relação a coletividade, ocasionando uma dependência que torna o homem um objeto à disposição da sociedade – para uma sociedade orgânica – onde no exercício da prática comum, resultante da especialização do trabalho, os indivíduos conscientes de seu papel (função) recebem usos e práticas legitimados pelo grupo (corporação) a que pertencem e deste modo há um jugo menor tendo em vista o espaço disponível às partes (esfera de ação própria, as personalidades). A presença da matriz positivista é claramente observada na forma idealizada como o cenário social é colocado, restando ao indivíduo adequar-se ao meio.

    segundo Karl Marx. Os conflitos que permeiam a sociedade resultam do processo de produção onde aqueles que detêm os meios de produção se impõe através da ideologia. A divisão do trabalho promove no interior da sociedade o seu aspecto heterogêneo caracterizado pelas relações estabelecidas entre grupos que submetem ou são submetidos em prol do processo de produção que visa atender à coletividade social. O modo como se desenvolve esse processo de produção material ocasiona a valorização da acumulação do produto (fonte de capital) em detrimento da qualidade de vida para todos (burgueses e proletários).

    ResponderExcluir
  25. Luiz Marinho turma 100 113 n 50
    Engenharia Ambiental.

    Émile Durkheim

    Para o sociólogo Émile Durkeim ( 1858-1917), que é considerado um dos pais da sociologia a sociedade é um conjunto de normas, que são construídas exteriormente e aceitas por ele.Na sociedade temos diversos exemplos como as leis estas que são impostas ao individuo,e este se infringir terá uma sanção ( penal , civil , administrativa ).

    Karl Marx

    Segundo Karl Marx, o individuo para viver , necessita transformar a natureza ao seu redor,construir casas , comer ....
    Para ele as relações em sociedade se encontram baseadas nos meios de produção ou seja as máquinas. nesse contexto temos os donos dos meios de produção e o proletariado.

    ResponderExcluir
  26. Eduardo Ap de Lima Ferreira, Nº11, Eng. Ambiental, Turma 100113

    Segundo Karl Marx, a Luta de Classes é a força motriz por trás das grandes revoluções na história. Ela teria começado com a criação da propriedade privada dos meios de produção. A partir daí, a sociedade passou a ser dividida entre proprietários e trabalhadores, ou seja, possuidores dos meios de produção e possuidores unicamente de sua força de trabalho. Na sociedade capitalista a burguesia se apodera da mercadoria produzida pela classe do proletariado, e ao produtor dessa mercadoria sobra apenas um salário que é pago de acordo apenas com o valor necessário para a sobrevivencia desse. Os trabalhadores são forçados a vender seu trabalho por uma fração mísera do real valor da mercadoria que produzem, enquanto os proprietários se apoderam do restante. Outra característica importante do capitalismo é o conceito criado por Karl Marx da mais-valia. A mais-valia consiste basicamente dessa porcentagem a mais que os capitalistas retiram da classe do proletariado. Essa porcentagem pode ser atingida, por exemplo, aumentando o tempo de trabalho dos operários e mantendo o salário. A luta de classes, segundo Karl Marx, só acabará com a implantação do regime comunista, onde esse conflito não terá como existir pois não existirão mais classes sociais. Até os tempos atuais o comunismo ainda não foi posto em prática em nenhuma região do mundo, apesar do socialismo, que seria como uma fase de transição do capitalismo para o comunismo, já ter reinado em diversos países.

    Durkheim
    As respostas para nossa organização social estariam nos fatos sociais e para isso seria necessária a aplicação de um método para os compreendermos melhor enquanto objeto sociológico, devendo ser vistos como se fossem coisas, como se fossem objetos passíveis de análise. Para ele, o homem naturalmente cria falsas noções do que são as coisas que o rodeiam, mas não é através da criação de ideias que se chegará à realidade. Para Durkheim, deve-se propor a investigação dos fatos para buscar as verdadeiras leis naturais que regem o funcionamento e a existência destes, pois possuem existência própria e são externos em relação às consciências individuais.

    ResponderExcluir
  27. Thais Tomé de Oliveira nº 36 turma 100.113 Engenharia Ambiental

    Durkheim é considerado um dos pais da sociologia moderna. Durkheim foi o fundador da escola francesa de sociologia, posterior a Marx, que combinava a pesquisa empírica com a teoria sociológica. É reconhecido amplamente como um dos melhores teóricos do conceito da coerção social. Partindo da afirmação de que "os fatos sociais devem ser tratados como coisas", forneceu uma definição do normal e do patológico aplicada a cada sociedade.

    Karl Marx foi um intelectual alemão considerado um dos fundadores da Sociologia. Também podemos encontrar a influência de Marx em várias outras áreas tais como: filosofia, economia, história já que o conhecimento humano, em sua época, não estava fragmentado em diversas especialidades da forma como se encontra hoje. Teve participação como intelectual e como revolucionário no movimento operário, sendo que ambos (Marx e o movimento operário) influenciaram uns aos outros durante o período em que o autor viveu. Atualmente é bastante difícil analisar a sociedade humana sem referenciar-se, em maior ou menor grau, à produção de K. Marx, mesmo que a pessoa não seja simpática à ideologia construída em torno de seu pensamento intelectual, principalmente em relação aos seus conceitos econômicos.

    ResponderExcluir
  28. Julio Cesar Bianchi, nº 49 - Eng. Ambiental - 100113

    Durkheim - Acreditava que a Sociedade seria beneficiada pelo processo educativo, orientando a vida dos indíviduos onde tomaria parte no espaço público e não restringindo no seu desenvolvimento indívidual.

    Karl Marx - Concentra-se na desigualdade e combinações entre aqueles de um lado com poder e do outro lado os menos poderosos, onde no Capitalismo ele ve uma organização que obtinha lucros a partir do trabalho de muitos, sendo que o capitalista paga o salario ao trabalhador e no final da produção fica com o lucro. Assim as estruturas da organização social revelam as desigualdades que levam ao conflito.

    ResponderExcluir
  29. Enquanto Weber defendia suas idéias de organização social em ações do indivíduo e Durkheim acerca de como os fatos sociais influenciavam nessas ações, Marx por sua vez defendia suas idéias acerca do trabalho que a sociedade desenvolvia e de como essa divisão de trabalho exercia ações e fatos sociais sobre a população. A teoria de Marx não era apenas reflexiva, pois ele propunha uma nova ordem social acerca da economia transformando a sociedade para que fosse igualitária. Vivenciou o nascimento do capitalismo e criticou essa ordem econômica propondo o chamado socialismo onde o estado detinha o maior poder, distribuindo ao povo em proporção justa, a renda, tirando a força capitalista das grandes corporações.
    A teoria de Marx foi empregada erroneamente por parte da União Soviética no séc. XX e acabou desprestigiada quando o comunismo despencou no começo da década de 1990.
    Durkheim é considerado o pai da sociologia moderna. Sua expectativa junto a organização social baseava-se em fatos sociais que influenciavam na sociedade e no comportamento do indivíduo. Através das suas obras tenta expressar essa teoria em fatos que estavam presentes na sociedade, como por exemplo no ato do suicídio explicando tal comportamento com base nos tais fatos sociais que o individuo vivenciava. Durkheim não concordava com a teoria de Marx, pois achava que a sociedade não podia ser simplesmente explicada através do trabalho, o que era o ponto de partida de Marx, porém não era tão ativo como Marx, pois enquanto ele explica a sociologia de modo mais completo, Marx dá mais soluções para as crises da sociedade.


    Sarah Santos Viana nº 53
    Engenharia Ambiental - 100/113

    ResponderExcluir
  30. Durkhein:
    A sociedade prevalece sobre o indivíduo. Muitas das vezes, o indivíduo se deparava com regras que não foram criadas ou opinadas por ele, porém, para haver uma sociedade, é necessário aceitá-las. Diante disso, podemos perceber duas características básicas:
    • São exteriores, pois não vem do indivíduo isolado, nós já nascemos inseridos nas regras de conduta.
    • São coercitivos, pois essas regras deverão ser seguidas por cada membro da sociedade.
    Para se divulgar essas regras, a melhor maneira para Durkhein, era através da educação, pois é dever de cada geração, educar seus filhos nas regras gerais da sociedade, já que as crianças não nascem sabendo dessas regras e a importância delas.
    Nas sociedades mais complexas, notou-se um conceito chamado de anomia, que é a ausência dessas regras sociais ou a desintegração delas, que poderia trazer como consequência, os suicídios, que para Durkhein, era um problema social e não individual.

    Marx:
    Para Marx, a sociedade deveria ser estudada, a partir da relação que os homens tem entre si, pois, para a existência da sociedade, o homem precisa produzir individualmente através de produção de mercadorias, tais como comida, utensílios, ferramentas, etc.
    Marx estudava a sociedade na qual ele estava inserido, ou seja, a sociedade capitalista que é composta por duas classes: os capitalistas que são os patrões, que possuem os equipamentos necessários para a produção de mercadoria, e os proletariados, que são os trabalhadores que prestarão serviços aos capitalistas. Isso resultou no conflito entre as duas classes, devido à exploração que o proletariado sofria, por parte dos capitalistas.
    O ideal para Marx, é que essas duas classes convivessem em igualdade, porém, ao haver divergências de ideias, a sociedade se dividiria nessas duas classes, em defesa de seus ideais. Podemos notar a prática desse conceito, através das greves, que é uma maneira dos trabalhadores reivindicar melhores condições de trabalho e expor seus ideais.

    Fernando Moreira Gomes, nº 70
    Eng. Ambiental - Turma 100.113

    ResponderExcluir
  31. Mariáh Del Bem Guarino, Engenharia Ambiental, nº 28, turma 10011312 de abril de 2012 16:12

    Émile Durkheim acreditava que a sociedade prevalecia sobre os indivíduos.Partindo da afirmação de que "os fatos sociais devem ser tratados como coisas", forneceu uma definição do normal e do patológico aplicada a cada sociedade, em que o normal seria aquilo que é ao mesmo tempo obrigatório para o indivíduo e superior a ele, o que significa que a sociedade e a consciência coletiva são entidades morais, antes mesmo de terem uma existência tangível. Essa preponderância da sociedade sobre o indivíduo deve permitir a realização deste, desde que consiga integrar-se a essa estrutura.A sociologia fortaleceu-se graças a Durkheim e seus seguidores.

    Karl Marx
    A teoria marxista é, substancialmente, uma crítica radical das sociedades capitalistas. Mas é uma crítica que não se limita a teoria em si. Marx, aliás, se posiciona contra qualquer separação drástica entre teoria e prática, entre pensamento e realidade, porque essas dimensões são abstrações mentais (categorias analíticas) que, no plano concreto, real, integram uma mesma totalidade complexa.Karl Marx compreende o trabalho como atividade fundante da humanidade. E o trabalho, sendo a centralidade da atividade humana, se desenvolve socialmente, sendo o homem um ser social. Sendo os homens seres sociais, a História, isto é, suas relações de produção e suas relações sociais fundam todo processo de formação da humanidade.

    ResponderExcluir
  32. Émile Durkheim – (1858-1917) A sociedade é um conjunto de normas de ação , para ele sem essas regras a sociedade não existiria. Os fatos sociais são exatamente essas normas , que orientam a vida dos indivíduos. Ele implantou a Solidariedade mecânica e orgânica. Solidariedade Mecânica - Elo social, sociedade pouco desenvolvida. Solidariedade Orgânica – Divisão do trabalho, Sociedade complexa.


    Karl Marx – (Metade do século XIX) Sociologia que analisa a sociedade e vai a luta para transformação social, para os menos favorecidos, classe operária. Classes sociais – de um lado os capitalistas. com capital, maquinas e etc, para o produção de bens , e do outro os trabalhadores, apenas com a força de vontade para trabalhar. Mais-valia – o que é produzido pelo operário não é devolvido, é apropriado pelo capitalista. Alienação – Ao invés de realizar o homem o escraviza, troca o ser pelo ter. Modo idealista de pensar.

    Carla Graziele Casagrande Nº06 100/113 Engenharia Ambiental.

    ResponderExcluir
  33. Érika da Silva Fonseca. n°45, turma 100113 - Engenharia Ambiental.


    Karl Marx

    Estudava a sociedade fazendo críticas ao capitalismo, seu foco era as classes sociais.
    Achava injusto o trabalhador não ganhar o valor que ele produzia (mais-valia).
    Dizia que as classes sociais são antatônicas, opostas, mas se completam.
    Defendia as classes sociais desfavorecidas.

    Émile Durkheim

    Para Durkheim, um individuo isolado não cria leis, e as mesmas são feitas de acordo com as necessidades externas dos homens, algo que nao existe somente na consciência dos indivíduos.
    A definição de sociedade para ele é: um conjunto de normas, pensamentos e sentimentos.

    ResponderExcluir
  34. Marcel Marino nº51; Engenharia Ambiental turma 100113

    Émile Durkheim

    Émile Durkheim defendia a ideia de que a sociedade "comandava" ou regia sobre os indivíduos.
    Explicou seu modo de pensar através dos fatos sociais que para ele eram as regras e normas as quais todo indivíduo deveria respeitar e cumprir. Essas normas e regras não eram criadas individualmente, segundo Durkheim eram exteriores e coercitivas; Exteriores pois foram criadas pela coletividade e coercitivas porque, caso sejam desobedecidas geram punições (a qualquer indivíduo- generalidade).
    Para Durkheim o cientista social deve ser imparcial em suas pesquisas.
    Seu conceito de anomia surgiu do estudo das sociedades complexas e é a ausência de normas sociais. Estudou ainda a instituição, o suicídio e religião.

    Karl Marx

    Para Marx a sociedade e os indivíduos se relacionam com as condições materiais, assim, o homem deve transformar a natureza para garantir sua sobrevivência.
    Estudou a sociedade capitalista, onde os trabalhadores vendem sua força de trabalho e trabalham mais do que recebem, e os capitalistas, donos dos meios de produção que ficam com o valor excedente(mais valia) da produção. Assim estudando também as classes sociais. Os trabalhadores tonavam-se "alienados", muitos não sabiam o que estavam produzindo.
    Segundo Marx a ideologia serve para mascarar a exploração e gera passividade, as pessoas não lutam para mudar aquilo que está errado.
    Karl Marx defende que o pesquisador deve analisar a realidade social, definir seus problemas, onde eles começam e conhecer seu contexto histórico. Em seu caso, criticou o capitalismo e "defendeu" a classe trabalhadora, desenvolvendo papel político revolucionário.

    ResponderExcluir
  35. Emile Durkheim - A sociedade para Emile prevalece sobre o individuo, onde são impostas regras de conduta que não são criadas por ele, mas deve obedecer e respeitar e nisso ele afirma que os fatos sociais são justamente essas regras e normas coletivas, que se resumem em duas características básicas exteriores - que consistem nas regras que não são criadas isoladamente, mas em coletividade, e coercitivos - essas regras devem ser seguidas e se não for há punição de alguma maneira.
    E as ideias de Durkheim propõe um novo método à sociologia onde ele enfatiza que o pesquisador deve se manter neutro e expor a realidade social sem que suas ideias e opiniões interfiram.
    Na analise dos sistemas sociais ele introduz a solidariedade mecânica que é uma sociedade primitiva onde os indivíduos compartilham dos mesmos valores e sentimentos e a solidariedade orgânica sociedade moderna que se define pala divisão do trabalho.
    Karl Marx - Para Karl o estudo da sociedade deve partir da relação que os homens estabelecem entre si, para ele devemos primeiramente estudar as relações básicas que condiciona todo o resto da sociedade para depois entender a politica ou cultura da época, mas o principal objetivo de Karl era estudar a sociedade de sua época - Capitalista onde se resume em proprietários não proprietários.
    Onde ele entra no conceito de Mais Valia - O Capitalista estipula um valor a trabalhador recebe aquilo e o que é produzido a mais o lucro fica com o capitalista. Karl considera que sempre haja um conflito entre essas classes que nunca poderá haver solução numa sociedade Capitalista.
    Karl Marx enfatiza que o pesquisador não deve se prender somente a realidade social, mas também se ater como essa realidade se produz e se reproduz ao longo da historia.

    Maria Aline Vieira Christovam N°63,Engenharia Ambiental Turma 100113

    ResponderExcluir
  36. Jonas Santos - nº48
    Engenharia Ambiental - Turma 100113
    DURKHEIM acreditava que a sociedade estava sempre acima do individuo, como se fossem duas coisas distintas, sempre impondo suas regras e punindo quem não as segue. Para ele as regras até são uteis, mas não influenciam diretamente a maneira de agir e pensar das pessoas.
    MARX acreditava que era imposssivel dividir a relação individuo e sociedade ja que para garantir sua exitencia o homem tem que interagir com a sociedade, pois ele depende dela para sobreviver. Mas o foco de MARX era estudar a sociedade capitalista, onde o empregador explorava o trabalhador pagando um salário que achava ser justo e não o que o trabalho realmente valia, o que gerava muitos conflitos entre as classes. Com esses conflitos fica claro que em uma mesma sociedade temos diferentes maneiras de pensar e agir e que a combinação dessas diferentes idéias cria um certo "equilibrio" na sociedade.

    ResponderExcluir
  37. Fábio Dias Mendes n°56 ENGENHARIA AMBIENTAL - Turma: 100113


    KARL MARX
    Defendia as classes sociais baixas, criticava o capitalismo , o capitalismo obtinha lucros a partir do trabalho dos empregados , o capitalista oferece o trabalho e salário ao empregado , mas o lucro fica para ele. Existe desigualdade de classes , existe um lado com poder e outro lado com menos poder. Classes sociais opostas, gerando conflitos.


    ÉMILE DURKHEIN
    As leis não são criadas a partir de um individuo , as leis são criadas quando existe necessidade , a sociedade seria beneficiada pelo processo educativo , aonde o individuo tomaria parte no espaço público e não restringe seu desenvolvimento , sociedade é um conjunto de normas , pensamento e sentimentos.

    ResponderExcluir
  38. Emile Durkheim
    Para Durkheim a sociedade é um conjunto de normas e regras que prevalecem sobre os indivíduos e que não são criadas para serem
    obedecidas e exigiadas de forma isolada, mas em coletividade.
    Por exemplo: Um determinado indivíduo desobecede um determinada norma então ele é punido por todo o restante do grupo.
    Isto mostra que o cumprimento e não cumprimento das regras e normas envolvem toda a sociedade, e não somente um indivíduo isolado.
    Durkheim afirma que o objeto de estudo da Sociologia é justamentte essas regras e normas que orientam e organigam a vida do indivíduo na sociedade. Tais regram são tomadas como fatos sociais,pois elas são transmitidas de gereção a gereção.Sendo assim Emile Durkheim coloca a educação como um fato social.Durkheim tem como fato social também o carater exterios e coercitivo que são frutos das normas e regras sociais.

    Karl Marx

    Segundo Marx a produção é a raiz de toda estrutura social.Karl Marx estuda a sociedade do seu tempo a sociedade capitalista.
    Dentro da sociedade capitlaista as relações sociais são divididas em dois grandes grupos : o capistalista (o que possui o meio de produção)e o proletariado ( o que nada possui).
    No estudo desta divisão Karl mostra a divisão de classes sociais e suas diferenças ,onde é criado termo mais-valia que é a diferença entre o valor do trabalho e o salário pago para o trabalhador.
    Karl Marx enfatiza que como método o pesquisador não deve se restrigir com a realidade social e deve se
    Marx diz o pesquisador procurar conhecer a sociedade social toda sua história.

    Fernanda de Oliveira Moreira nº 17
    Engenharia Ambiental turma 100113

    ResponderExcluir
  39. Durkheim:Considerado o pai da sociologia moderna,para ele a sociedade prevalece sobre o indivíduo,ou seja,na vida em sociedade o homem defronta com regras de conduta que nao foram diretamente criadas por ele, mas que existem e sao aceitas por todos.E, justamente a este processo de socializaçao,onde essas regras de conduta e normas coletivas orientam a vida dos indivíduos em sociedade que Durkheim cosiderou como Fatos Sociais,o objeto de estudo da sociologia.
    Para ser um fato social deve atender a tres caracteristicas: generalidade, exterioridade e coercitividade: o que as pessoas sentem, pensam ou fazem independente de suas vontades indivíduais.
    Exteriores:Ideias, regras e normas que nao sao criadas isoladamente, mas em coletividade;
    Coercitivos:Ideias, regra e normas que devem ser seguidas pela sociedade,se nao for ha puniçao.
    O conceito de anomia social para Durkheim e a ausencia ou desintegracao das normas sociais.Assim, para Durkheim é uma sociedade, como coletividade, que organiza, condiciona e controla as açoes indivíduais.


    Marx:Fundador da doutrina comunista moderna, sua teoria obteve crescente influencia intelectual e politica sobre os movimentos operarios.Diferentemente de Durkheim, Marx considerava que nao se pode pensar a relaçao indivíduo-sociedade separadamente das condiçoes materiais em que essas relaçoes se apoiam.
    Seu objetivo maior nao era elaborar uma teoria geral sobre a socidade,e sim estudar a sociedade de deu tempo- a sociedade capitalista.
    Na sociedade capitalista, a produçao so se realiza porque capitalistas e trabalhadores entram em relaçao.O capitalista paga ao trabalhador um salario pra que ele trabalhe para ele,so que no final da produçao,o trabalhador nao recebe o que realmente produziu,o lucro fica com o capitalista, esse sistema e chamado de mais-valia.Outro sistema é o de alinaçao do trabalhador, no qual ele trabalha, mas nao tem consciencia do produz.
    Assim, para Marx o conceito de classe social, seu objeto de estudo, era de que as relaçoes entre as classes sociais eram de oposiçao, antagonismo, exploraçao e complementaridade, ou seja, eram opostas porém complementares.


    Fabiana Dos Santos Naldi, Engenharia Ambiental,n 46, turma 100113

    ResponderExcluir
  40. Marcelo Nunes Pereira Engenharia Ambiental, Turma 10011313 de abril de 2012 15:17

    Para Durkheim, a sociedade prevalecia sobre o indivíduo sendo um conjunto de regras de ação. Ele afirmava que os fatos sociais eram justamente essas regras e normas que orientavam a vida das pessoas em sociedade. Para identificar os fatos sociais ele citava duas características básicas: a coercitividade e a exterioridade. Coercitivos, porque as idéias, normas e regras devem ser seguidas pelos membros da sociedades, caso isso não acontecesse e desobedecesse a elas, seria punido pelo resto do grupo. Exteriores, porque essas idéias, normas e regras não eram criadas isoladamente pelas pessoas e sim de forma coletiva, já existindo antes de nós nascermos. Estudou também, idéias de normalidade e patologias sociais, introduzindo o conceito de anomia, ou seja, ausência das normas sociais.
    No caso de Marx, a produção é a base de toda a estrutura social e seu objetivo era estudar a sociedade do seu tempo, ou seja, a sociedade capitalista através dos capitalistas e dos trabalhadores ou proletariados. Surgiu então a mais valia, onde o capitalista pagava um salário ao trabalhador (monor do que ele merecia) e no final da produção ficava com o lucro, levando a exploração do trabalhador pelo capitalista e o início de conflitos. O seu objetivo de estudo estabelece um grupo de pessoas que ocupam uma mesma posição nas relações de produção. A classe a qual pertencemos, condiciona nossa atuação social. O cientista social pode desempenhar um papel político revolucionário, tomando partido por uma classe trabalhadora.

    ResponderExcluir
  41. Graziele Pimentel da Silva nº61 - Turma 100.113
    Engenharia Ambiental

    Durkheim - para ele a sociedade é um conjunto de normas, mas que são construídas exteriormente fora da consciência de cada indivíduo, para Durkheim a sociedade prevalece sobre o individuo.

    Karl – pensava diferentemente de Durkheim, ele considerava que não se podia pensar a relação individuosamente das condições materiais em que essas relações se apoiam, Marx era de caráter simplista.

    ResponderExcluir
  42. Bruno Rafael Veiga Tenório Lapinskas
    RGM 086345 - Turma 100113
    Nº05 - Curso Engenharia Ambiental

    Durkheim - caracterizava a sociedade que se limitava e tinha como objetivos de constução submetidos a normas leis de modo que a sociedade se limitava para estes fatos de como levar a vida e submete-la a elas atraves de bases das normas. identificar os fatos sociais ele citava duas características básicas, identificando tambem com duas principais caracteristicas co-relacionadas a coercitividade e a exterioridade.

    Karl Marx
    Tinha como objetivo a sociedade comunitária socialista, luta pelos ideias iguais, seguindo com um proposito de ideal a criação do método de mais-valia que consistia de porcentagem que basicamente os que os capitalistas proletariados seriam submetidos a divisão igualitária para classes menores. No meio produção produzir e ganhar o que realmente teria como direito e deveres dentro da linha de produção.

    ResponderExcluir
  43. Wanderlei Bello Machado, n 40,Eng. Ambiental, 1 sem,turma 10011313 de abril de 2012 17:20

    Emile Durkeim
    è o pai da sociologia, ele defende que a sociedade prevalece sobre o individuo, na qual o individuo tem que segueir essas regras (fatos sociais) sob a pena de ser punido se não cumprir. O individuo sozinho não tem o poder de criar e nem modificar essas regras (leis).

    Karl Marx
    Para o pensador Alemão o estudo da sociedade parte do estudo das relações sociais, as quais os homens estabelecem entre si pra utilizar os meios de produção e transformar a natureza.
    MARX estudou a sociedade capitalista onde de um lado estão os capitalista (detentores dos meios de produção) e de outro lado está o proletariado, classe que depende do capitalista para conseguir trabalho e assim conseguir sobreviver. Porém essas classes estão em lados opostos, sempre o capitalista obtendo vantagem economica sobre o proletariado.

    ResponderExcluir
  44. Gilson Fernandes Garcia Bigatto n°21 100113 eng. ambiental.

    Durkhein explicava o "sistema" onde somos manipulados e nem nos perguntamos porquê.

    Marx explicava o abuso de poder entre donos e funcionários. Os donos entram com máquinas e equipamentos e o funcionários entram com a mão d eobra.

    ResponderExcluir
  45. Taís Cristina Silva RGM 086705- nº34 turma 100113 - 1ºsemestre Engenharia Ambiental

    Karl Marx
    Ele defendia a classe trabalhadora e criticava o capitalismo.O capitalista tinha suas máquinas,o poder, era acima da classe trabalhista,esta sendo pobre tendo apenas a vontade de trabalhar para manter e ganhar porém não ganhava o que devia,o que merecia, pois o capitalista tomava posse do dinheiro que deveria ser pago ao trabalhador que na época trabalhava muito e merecia receber por aquele esforço todo. Marx então estava do lado da classe trabalhista, direitos iguais ele defendia.

    Émile Durkheim
    Defendia que a sociedade deveria ter regras a seguir, cumprir se não não existiria, era seu pensamento. Foi ele quem implantou a solidariedade mecânica, elo social, a sociedade pouco desenvolvida e também implantou solidariedade orgânica,a divisão do trabalho.A sociedade era composta e organizada por normas em sua opinião.

    ResponderExcluir
  46. Emili Durkheim é considerado o pai da sociologia moderna, tendo como base que o sujeito se tornou humano pelo fato de viver em sociedade e que teria de responder as normas e regras impostas pela sociedade que na qual vivia, também escreveu obras valiosas tais como: Da divisão do trabalho social (1893),Regras dos Métodos Sociológicos(1895), O Suicídio(1912).

    Karl Marx reforçou a teoria de Durkheim, porém de fato defendeu os direitos dos trabalhadores e os defendia do capitalismo com o seu protesto revolucionol a epoca que na qual vivia e ate hoje vemos o espelho de suas filosofia.

    Emerson Felipe sos santos n°14 turma 10013 Eng° Ambiental

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja bem Emerson, Marx não reforça a teoria de Durkheim; pelo contrário, ele faz a crítica a tudo o que Durkheim defende, isto é, a manutenção da ordem social. Marx defende a revolução social, a transformação social baseada da inversão de valores das classes sociais.
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  47. Parabéns aos alunos da turma 100113, Eng. Ambiental, pelas colocações pertinentes. Espero que tenham contribuído para o aprendizado de todos!
    Abraço,
    Profª Marilia Coltri.

    ResponderExcluir
  48. muito bom!... gostaria que lese um artigo meu! http://pensamentosdovacuo.blogspot.com.br/2012/04/de-baixo-do-ceu-nao-nada-de-novo_18.html gostaria de uma pessoa com esse conhecimento para avaliar... brigado

    ResponderExcluir
  49. foi muito legal aprendi bastante:::::::::::::::

    ResponderExcluir
  50. foi superlegal:::::::::: asina::::::::::::margareth santos 322

    ResponderExcluir
  51. parabens a criadora desse blog, muito bom
    e obrigado tambem, me ajudou muito

    Helder Godoy

    ResponderExcluir
  52. Adorei esse texto me ajudou mto na criação do meu trabalho e li uma postagem que disse que estava faltando algo, etc.... para mim foi maravilhoso, tudo mto bem explicado e esclarecedor!!! Parabéns.
    Abços.

    ResponderExcluir
  53. se tem site neurotico?

    ResponderExcluir