"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém" Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios

"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém [...]". (Carta do Apóstolo Paulo aos cristãos. Coríntios 6:12) Tudo posso, tudo quero, mas eu devo? Quero, mas não posso. Até posso, se burlar a regra; mas eu devo? Segundo o filósofo Mário Sérgio Cortella, ética é o conjunto de valores e princípios que [todos] usamos para definir as três grandes questões da vida, que são: QUERO, DEVO, POSSO. Tem coisas que eu quero, mas não posso. Tem coisas que eu posso, mas não devo. Tem coisas que eu devo, mas não quero. Cortella complementa "Quando temos paz de espírito? Temos paz de espítito quando aquilo que queremos é o que podemos e é o que devemos." (Cortella, 2009). Imagem Toscana, Itália.















terça-feira, 8 de novembro de 2011

Giordano Bruno (1548 - 1600)


Para Bruno o universo é constituído de um único corpo, mas as coisas singulares são ordenadas com precisão e estão conectadas com todas as outras coisas. O que fundamenta essa organização são as ideias, que são princípios eternos e imutáveis. Cada coisa particular é uma imitação, uma imagem ou a sombra da realidade ideal que a orienta. Nossa mente também segue essa estruturação universal e nossas ideias não são eternas e imutáveis, mas são o reflexo, o vulto das ideias que não se alteram.

Mesmo nossas ideias sendo a sombra de algo imutável, através delas podemos chegar ao verdadeiro conhecimento se encontrarmos um método que consiga assimilar e compreender a complexidade da realidade. Esse método tem que ter a capacidade de entender essa estrutura universal ideal que sustenta todo universo.

Para Giordano o método para entender a unicidade e a multiplicidade do universo é a memória. A memória nos permite impedir que nossa mente se confunda com o grande número de coisas que existem no universo e com os conceitos e representações dessas coisas. Essas representações são sombras das ideias divinas e a memória serve para fixar em nossa mente essas imagens. Através de exercícios de memória podemos colocar em nossa mente um grande número de reflexos das coisas e das ideias divinas, o que torna mais sólida nossa capacidade intelectiva e mais eficaz nossa ação sobre o mundo. Para atingir esses objetivo é que Giordano Bruno foi grande estudioso e professor de mnemônica, que é o estudo de técnicas para facilitar a memorização.

Bruno sustenta ainda que o universo é infinito, e como infinito não tem um centro nem uma circunferência.

Em seus estudos sobre ética Bruno culpa o cristianismo de inverter os valores morais de sua época. O cristianismo tornou a crença sem reflexão em uma sabedoria, a hipocrisia humana em conselho divino, a corrupção da lei natural em piedade religiosa, o estudo em loucura, a honra em riqueza, a dignidade em elegância, a prudência na malícia, a traição na sabedoria e a justiça na tirania.

Para combater essa situação Giordano cria uma escala de valores onde em primeiro lugar está a verdade, em segundo a prudência e em terceiro a sabedoria. Em quarto lugar está a lei, que regula o comportamento das pessoas e na sequência, a força de espírito que é a virtude interior.

Deus, para o filósofo Bruno, não pode ser conhecido pelas suas consequências nem por suas obras, da mesma forma que não podemos conhecer o escultor pela estátua. Não podemos conhecer Deus porque Ele está muito além da nossa capacidade intelectiva. O caminho mais digno para nos aproximarmos de Deus é através da sua revelação.

Mas Deus como objeto de estudos da filosofia, é a própria natureza. E como natureza Deus é o motivo e a origem do universo. É motivo porque Ele é que define as coisas que formam o universo. E é origem porque é Ele quem dá a existência para as coisas do universo. Deus é o intelecto universal que anima, serve de base e governa o mundo.



Sentenças:

- Deus é tudo em tudo, mas não em cada parte.

- O tempo tudo tira e tudo dá; tudo transforma e nada destrói.

- Não existe satisfação sem tristeza.

- A poesia não nasce das regras.

- Somos a causa de nós mesmos.

- O universo é uno, infinito e imóvel.

- Os homens mais devotos e santos, um dia foram chamados de asnos.

- Não é a matéria que causa o pensamento, mas o pensamento que causa a matéria.

- O homem não tem limites, e um dia se dará conta disso e será livre, ainda neste mundo.

- O amor torna o velho louco e o jovem sábio.

- A ignorância é a mãe da felicidade.


Giordano Bruno


Responsável: Arildo Luiz Marconatto

12 comentários:

  1. Segundo Giordano Bruno, deveria existir um método com a capacidade de "[...] de entender [uma] estrutura universal ideal que sustenta todo universo. [...] Esse método seria a memória, [possibilidade de aquisição do verdadeiro conhecimento. Fale sobre a questão da memória segundo a visão de Giordano Bruno.

    ResponderExcluir
  2. Segundo Giordano Bruno a memória impede de que nossa mente se confunda com o grande números de coisas que existem no universo. A memória é o local onde nossas ideias se tornam sólida nossa capacidade intelectiva e mais eficaz nossa ação sobre o mundo.

    Danilo Joia 3° EM

    ResponderExcluir
  3. Segundo, Giordano Bruno, a memória nos ajuda a impedir que nossa mente se confunda com as diversas coisas existentes no nosso cotidiano. Assim, exercitando a memória somos capazes de armazenar grande numero de reflexos das coisas e das idéias divinas, o que torna melhor a nossa capacidade entendimento sobre o mundo. Para chegar a essa conclusão sobre a memória, ele foi um grande estudioso e professor de mnemônica.

    Maria Carolina e Rebeca - 3º EM

    ResponderExcluir
  4. A memória, segundo Giordano Bruno, nos permite não babelar (do Hebreu, Babel=Confusão, nesse caso, não nos confundir)nossas ideias com os outros conceitos e ideias do Universo, pois apesar de estarmos conectados como um todo, devemos ser cada um em sua singularidade, pois assim teremos nossas próprias ideias e poderemos manter nossa originalidade no meio do Universo.
    Mateus Arrobas 3º EM Colégio Ser!

    ResponderExcluir
  5. Giordano disse que a memoria é o canal que diferencia a nossas ideias das diversas coisas que existem no dia a dia. Evoluindo nossa capacidade de memorizar podemos passar a entender melhor o mundo. Ele foi professor de uma ciencia que estuda a capacidade de aumentar o poder de memorização, o que lhe possibilitou de ter embasamento pra essa conclusão.

    Raíssa Bertasi e Nicole de Castro 3ºEM

    ResponderExcluir
  6. a memória nos ajuda a impedir que nossa mente se confunda com as diversas coisas existentes no nosso dia-a-dia. exercitando nossa memoria somos capazes de armazenar um grande numero de coisas, o que nos faz entender melhor a concepção de mundo.

    Felipe Pagliato Franciulli 3º

    ResponderExcluir
  7. Ana Laura e Isabella Geronutti8 de novembro de 2011 09:28

    Segundo Giordano Bruno, estamos expostos a todos os tipos de ideias e seus conceitos e representações. Então, a memória nos ajuda a discernir uma ideia da outra e fixá-las. É preciso então, utilizar exercícios para melhorar nossa capacidade de assimilação de ideias, para que então se possa refletir mais profundamente sobre elas e então chegar ao verdadeiro conhecimento. Por isso, para ele, a memória é o método que se deve utilizar para compreender a realidade.

    ResponderExcluir
  8. Segundo Giordano Bruno, a memória é o método para entender a unicidade e multiplicidade do universo. A memória nos permite impedir que a mente confunda-se com o grande número de informações que possui o universo e com seus conceitos e representações, sendo essas representações sombras das ideias divinas, e a memória serve para fixar em nossa mente essas imagens. Ou seja, resumidamente, a memória é um mecanismo de armazenamento das diversas informações do universo, que serão fundamentais para a formação do ser humano como individuo.

    Amanda e Camila - 3º EM

    ResponderExcluir
  9. Segundo Bruninho -para os íntimos-, a memória é a principal "ferramenta" para compreender as ideias sobre o universo. Levando em conta as complexas teorias e ideias criadas pelo homem, este que está sempre buscando o conhecimento e além disso, busca explorar as coisas ainda misteriosas de todo o universo humano...
    E tendo em vista que com o passar do tempo, novas teorias são propostas, não desconsiderando as anteriores, Bruno apresenta a memória, dando-a a função principal na compreensão do universo.
    Diz que a memória torna mais sólida nossa capacidade intelectiva e mais eficaz nossa ação sobre o mundo, pois, através dela, podemos fixar diferentes ideias e refletir sobre elas. Além de impedir que nossa mente se confunda com o grande número de coisas que existem no universo, com o grande leque de conceitos e de representações teóricas dos mistérios do universo.

    VALTER NICOLAU e VICTOR SAKER

    ResponderExcluir
  10. Isadora Sindy 3°EM8 de novembro de 2011 09:49

    O universo pode ser entendido de melhor forma através da memória. A mémória reserva e define o que real, pois no universo existem muitos conceitos e definições de determinadas coisas. Giordano ainda defende que o cristianismo influencia as pessoas, pois não exige que elas pensem sobre tal crença de modo que as confundam sobre o que é verdade e o que não é.

    ResponderExcluir
  11. Parabéns pela participação aos alunos do 3º ano EM - Colégio Ser! Valeu a experiência e as conversas que tivemos durante esse ano. Espero ter contribuído com o aprendizado de todos vocês. Desejo sucesso nos vestibulares e que vocês consigam realizar seus sonhos. Sucesso e sejam felizes.
    Um grande beijo,
    Profª Marilia Coltri.

    ResponderExcluir
  12. Segundo Bruno a memória nos permite impedir que nossa mente se confunda com o grande número de coisas que existem no universo e com os conceitos e representações dessas coisas, fixando essas representações em nossa mente.

    Onei - 3ºEM

    ResponderExcluir