"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém" Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios

"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém [...]". (Carta do Apóstolo Paulo aos cristãos. Coríntios 6:12) Tudo posso, tudo quero, mas eu devo? Quero, mas não posso. Até posso, se burlar a regra; mas eu devo? Segundo o filósofo Mário Sérgio Cortella, ética é o conjunto de valores e princípios que [todos] usamos para definir as três grandes questões da vida, que são: QUERO, DEVO, POSSO. Tem coisas que eu quero, mas não posso. Tem coisas que eu posso, mas não devo. Tem coisas que eu devo, mas não quero. Cortella complementa "Quando temos paz de espírito? Temos paz de espítito quando aquilo que queremos é o que podemos e é o que devemos." (Cortella, 2009). Imagem Toscana, Itália.















domingo, 25 de outubro de 2015

JOHN LOCKE





"Todas as ideias derivam da sensação ou reflexão. Suponhamos, pois, que a mente é, como dissemos, um papel em branco, desprovida de todos os caracteres, sem quaisquer ideias: como ela será suprida? De onde lhe provém este vasto estoque, que a ativa e que a ilimitada fantasia do homem pintou nela com uma variedade quase infinita? De onde apreende todos os materiais da razão e do conhecimento? A isso respondo, numa palavra, da experiência. Todo o nosso conhecimento está nela fundado, e dela deriva fundamentalmente o próprio conhecimento. Empregada tanto nos objetos sensíveis externos como nas operações internas de nossas mentes, que são por nós mesmos percebidas e refletidas, nossa observação supre nossos entendimentos com todos os materiais do pensamento. Dessas duas fontes de conhecimento jorram as nossas ideias, ou as que possivelmente teremos."

ORIENTAÇÃO PARA A ATIVIDADE
Na postagem de seu comentário, não esqueça de incluir:
Nome completo, número de chamada, curso e turma.
Verifique se o comentário foi postado com sucesso!

114 comentários:

  1. Difícil discutir suas premissas. Sem dúvidas o conhecimento deriva dos pontos apontados. O que discuto é desde onde acumulamos esse conhecimento. Seria vida unicamente o espaço limitado de tempo entre o nascer e o morrer , ou todo o período de desenvolvimento de um espirito ?

    Thayná Cristina dos Santos Quintão, 49. Publicidade e Propaganda - 2 Semestre.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso, Thayná! São vários os questionamentos possíveis de serem realizados. Mas já pudemos conhecer um pouco mais deste autor.

      Excluir
    2. Locke, ao se referir a nossa mente como "um papel em branco", quer dizer que realmente ela é de fato, assim, pois quando nascemos, não temos nenhuma escrita, ou algo "arquivado" em nossa mente, nós passamos a adquirir o conhecimento das coisas através da vivência e das experiências que nos são proporcionadas. A vida em sociedade pode nos influenciar sobre o que acreditamos ser verdadeiro, e também ao que julgamos bom ou ruim. E ao ir vivenciando diversas situações, nós estamos sempre aprendendo e "arquivando" as coisas em nossa mente.

      Maria Victoria Alves do Nascimento Souza, Nº69, 2º Semestre de Publicidade e Propaganda.

      Excluir
  2. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  5. Raquel Rodrigues dos Santos, nº41. Publicidade e Propaganda - 2º Semestre.

    “É um pacto de consentimento em que os homens concordam livremente em fundar a sociedade civil para preservarem e consolidarem ainda mais os direitos que possuem no estado de natureza. Através deste pacto os indivíduos aceitam limitar sua liberdade, seu poder de fazer justiça com as próprias mãos, em troca da preservação da sua propriedade. ”

    Fonte: http://mariliacoltri.blogspot.com.br/search?q=john+locke

    Segundo Locke, o poder político formado resultante do Contrato Social, pode ser de um ou mais indivíduos, cuja finalidade é ter total direito sobre os julgamentos e punições a criminosos de sua comunidade, assegurando o bem-estar de seus membros. Propõe também, a divisão deste poder em três partes: Poder Legislativo, Poder Executivo e Poder Federativo. Para ele, o poder político não possui limites e a vontade da maioria é a que deve prevalecer.
    Para John Locke o Poder Legislativo (responsável pela elaboração das leis) é o poder supremo, porém, este é limitado pelos direitos naturais dos cidadãos. Já o Poder Executivo (julgado por ele “necessário permanentemente”), executa as leis que devem visar proteger a vida e os direitos dos cidadãos. No caso destes serem violados, estes têm toda a legitimidade para resistirem ao poder constituído. Desta forma, Locke se coloca em sua época contra o poder absoluto dos reis.

    ResponderExcluir
  6. Thomas Wiziack - 40 - Cinema - 2 semestre
    Concordo com Locke. Um exemplo do que ele disse é o aprendizado da fala por um bebê; veja, através do mundo sensível ele consegue reconhecer padrões e montar e articular palavras com significado. E com elas ele irá começar a organizar seus pensamentos. As suas experiências desde muito cedo vão moldando o seu pensamento e escrevendo nesse papel em branco que é o cérebro.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Você captou muito bem a ideia do autor, Thomas.

      Excluir
  7. Gabriel de Souza Benedetti - 12 - Cinema - 2 semestre

    Locke exemplifica bem o processo de formatação do pensamento e conhecimento através da metáfora do "papel em branco". Nós cineastas, por exemplo, realizamos nossas obras de acordo com experiências e sensações pessoais, para que aquilo que queremos passar para o espectador seja verossímil e atinja o propósito desejado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Perfeita comparação com a sua área do conhecimento, Gabriel!

      Excluir
  8. Jorge Henrique Bagneti - Nº 07 - RTVi - 2º Semestre.

    Segundo Locke, a principal fonte de conhecimento é a experiência, e todas as predefinições racionais com que determinamos a experiência são, elas mesmas, produtos da própria experiência. Seguindo a premissa de que ao nascermos, nossa mente não passa de uma folha em branco, e que apenas através das experiências ao longo da vida é que podemos absorver a ideia do que é bom e ruim / bem e mal, poderíamos então descartar a possibilidade da existência de um ser criador, pois a moral nada mais seria que um acúmulo de estímulos sensoriais ao longo da vida do indivíduo.

    ResponderExcluir
  9. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  10. Yasmin Vieira Manzano Braga, nº: 51, Publicidade e Propaganda / 2º semestre

    Locke torna a 'filosofia da experiência" sistemática, metodológica e crítica consciente. Buscava compreender qual a gênese, a função e os limites do entendimento humano.

    Locke deixa bem claro que as capacidades são inatas, mas o conhecimento é adquirido. Pelo uso da razão somos capazes de alcançar certos conhecimentos e com eles concordar, e não de descobrir.

    A experiência pode ser de dois tipos:

    1. Externa, da qual derivam as ideias simples de sensação (extensão, figura e movimento, etc.);

    2. Interna, da qual derivam as ideias simples de reflexão (dor, prazer, etc.).



    Essa possibilidade de adquirir o conhecimento pela vivência do dia-a-dia é real e intensa. Vivemos esse processo a todo momento. E tudo o que passamos é único.

    Portanto, acredito que quanto mais vivemos e mais experimentamos, mais conhecemos. Todos nossos sentidos devem ser explorados da melhor maneira possível e todos os sentimentos provocados por essas experiências devem ser lembrados.

    ResponderExcluir
  11. Nome: Fernando Sandroni Reginaldo
    Nº 02
    RGM 103900
    Curso: Rádio e TV (2º Semestre)

    Referência: http://super.abril.com.br/cultura/os-bons-selvagens-de-lost
    Texto Luciana Farnesi

    ''Uma coisa que o produtor Damon Lindelof e os outros dois criadores de Lost, J.J. Abrams e Jeffrey Lieber, não escondem é o arsenal de referências da série. Dos filósofos Jean-Jacques Rousseau e John Locke ao ditador Mao Tsé-tung, da psicologia behaviorista ao hinduísmo.
    “O conhecimento de ninguém aqui pode ir além de sua experiência.” A frase é do filósofo John Locke (1632-1704), mas poderia muito bem ser de outro John Locke: o personagem mais enigmático do seriado. Do filósofo, ele não empresta só o nome, mas também muito do jeito de pensar.''

    Meu ponto de vista: O Episódio 3 da 1ª Temporada recebe o nome de ‘’Tabula Rasa’’. Seguindo os episódios um pedaço do passado de Locke é revelado por meio de Flashbacks, antes de sua chegada a ilha. Em seu trabalho Jocke é ridicularizado por um companheiro ao saber que ele planeja fazer ‘’A Jornada’’ (um grupo de pessoas que procura a paz espiritual por meio de trilhas e caminhadas na selva), o mais curioso é que Locke aparece sentado o durante os flashes do episódio, nas cenas finais o agente de viagens nega o direito de Locke viajar, revelando que ele é paraplégico.
    Na ilha, por um milagre Locke começa a mexer a ponta dos dedos e consequentemente volta a andar.
    Ele enxerga as coisas com olhos da razão, é o primeiro a entender as regras da ilha, acreditando que tudo aquilo é uma nova experiência.
    Quer apagar tudo o que viveu até ali e decide começar do zero.

    ResponderExcluir
  12. Isabela Freitas de Camargo Ferraz, RTV, 2º semestre.
    De acordo com Lock, nascemos sem nenhum tipo de experiência ou sensação, nós as obtivemos durante a vida, com acontecimentos e emoções que o mundo nos proporciona.
    Nossa mente é um papel branco, sem qualquer registro, mas assim que nascemos, temos a chance de preenchê-la com experiências ao longo da vida, sejam elas boas ou ruins.
    Sentimentos ou ideias são conclusões que nossas mentes tomam como reflexo de algo que aconteceu no mundo externo, nas experiências de vida.
    O problema é que diferente do papel que podemos rasgar ou apagar o que nele está escrito, na mente isso não acontece. rsrs

    ResponderExcluir
  13. Églis Jenifer de Melo / 076596 / Publicidade e Propaganda / DP presencial.

    Viagem as profundezas, para Locke essa viagem tem o intuito de se aprofundar nas capacidades das razões humanas, descobrir qualidades e possibilidades dentro de um intelecto, sendo assim podemos nos dedicar de forma objetiva "sem gastar" nossas energias com coisas inúteis.
    A razão não é uma máquina que funciona por si só, ela precisa de combustível e como tudo possui limitações, essa mistura ideias e pensamentos só pode se tornar real se acompanhada de experiencia, nosso intelecto tem a capacidade de transformar toda essa combinação simples e criar ideias complexas.

    ResponderExcluir
  14. Nome: Filipe M. D. Lacerda
    Curso: 2 Radio e Tv
    Numero: 03

    Então, Locke explica que tudo que somos hoje ou o que seremos amanha se dá pela experiência. De acordo com ele, ao passar do tempo, nossa mente, nossa imaginação é sendo criada pelo o que vivemos, pelas as experiências que passamos, pelas tentativas erradas e acertadas da vida. Assim sendo, de acordo com suas experiências, a pessoas podem ter mais conhecimento.

    ResponderExcluir
  15. Nome: Renata Priscilla T. Ferreira
    Curso: Cinema e Audivisual
    Nº 37

    Locke acredita que as idéias surgem a partir das sensações e experiências que o individuo tenha sentido/vivido. Acredito que ele esteja correto em partes, mas não concordo com esta mecânica no comportamento humano em 100%.
    Parte das nossas atitudes são tomadas com base no que está em nossa consciência e no que nos é inato, por exemplo, poder escolher uma faculdade com base no que gosta e não na experiencia de que é preciso uma área de formação que garanta a vida (financeiramente falando) e também a sensação do que é perfeito ou o que é legal pode partir de uma idéia inata, ou seja, que não tenha sido experimentada antes.
    Desta forma acredito que este pensamento de Locke esteja correto, porém apenas parcialmente.

    ResponderExcluir
  16. Gabriel Gregório Vanin, Nº04 (RÁDIO E TV) 2ºsemestre

    Logo quando diz que a mente é como um papel em branco, entendo que quis dizer que nascemos imparciais, sem qualquer tipo de informação, que no decorrer dos anos vamos criando nossas opiniões e pensamentos, citada como experiência no texto de John.
    Assim como na Biografia dele diz, " ...Defendia também que todos os seres humanos nascem bons, iguais e independentes. Desta forma é a sociedade a responsável pela formação do indivíduo." todo mundo nasce bom, ou seja, com a mente em branco, e é a sociedade que vai escrever para que você tenha materiais em mente. É dai que você irá seguir seu caminho, seja ele bom ou ruim.

    BIOGRAFIA: http://www.suapesquisa.com/biografias/john_locke.htm

    ResponderExcluir
  17. Nome: Fernanda Fazza
    Curso: 2 Radio e Tv
    Numero: 19

    De acordo com Locke, tudo que somos hoje ou o que seremos amanha se dá pela experiência a principal fonte de conhecimento é a experiência que não passa de uma folha branca onde ao passar do tempo, nossa imaginação começa a se criada pelo o que vivemos, pelas tentativas e experiencias que passamos assim comparando a mente com o papel em branco. Diferente do papel que podemos rasgar ou apagar o que nele está escrito, na mente isso não acontece.

    ResponderExcluir
  18. Bruno César de Oliveira Menezes;
    Curso: Cinema e Audiovisual / 2º Semestre;
    Nº 46.

    Quando diz que nossa mente é um "papel em branco", acredito que significa mencionar que nós nascemos sem nenhum tipo de caractere original, que tudo o que "preenche" nossa mente vem das experiências que vivenciamos.
    Acredito que, além das experiências, a convivência na sociedade também tem influência nesse ponto. Pois se nascemos como um "papel em branco", tudo o que ouvimos e vemos pode influenciar nossa mente se tomarmos aquilo como verdade.
    Então, o meio é muito importante nessa parte. Crescer em um meio considerado bom ou ruim pode determinar o seu caminho.

    ResponderExcluir
  19. Na visão de Locke, nós não nascemos com o conhecimento, mas sim adquirimos ela ao longo da vida com nossas vivências e experiências, eu acho que não precisamos ter experimentados para conseguir adquirir o conhecimento sobre aquilo , pois muitas vezes adquirimos experiências a partir de vivências e experiências de outras pessoas, isso faz com que nos identifiquemos e surjam idéias em nossa mente,por isso concordo na maior parte com Locke, entendo seu ponto de vista mas acho que é possível adquirir conhecimento sem ter a experimentação.

    Marilton Odorico Felix Nº 30 Cinema 2º semestre

    ResponderExcluir
  20. Kethleen Mascena N° 59 curso: CINEMA 2° semestre.

    Entendo por esse texto que nossa mente é formada ao longo do tempo, de experiências e conhecimento empírico que adquirimos desde o momento que nascemos. Quando cita que a mente é um papel em branco, entendo que somos como um grande mármore prestes a ser lapidado. Assim é a nossa mente, ela precisa ser lapidada com o conhecimento e experiências.Isso nos torna racionais.

    ResponderExcluir
  21. De acordo com Locke, todo o nosso conhecimento é adquirido por meio de nossas experiências através do tempo. Nessa visão empírica, só aprendemos algo quando a vivenciamos. Porém, contra-argumento John Locke, é possível, sim, absorver novos aprendizados por meio da vivência de terceiros, e não apenas diretamente de algo que você fez, visto que todo julgamento bem trabalhado e embasado em algo que outra pessoa fez pode contribuir para o seu conhecimento e crescimento pessoal.

    Mikael C. Nogueira, Nº54
    Cinema 2º Semestre

    ResponderExcluir
  22. Estevão Silva e Souza27 de outubro de 2015 09:41

    Estevão Silva e Souza nº09 Cinema 2º Semestre

    Locke nos diz que todas as mentes nascem vazias. Um neném não tem a capacidade intelectual de um adulto, pois lhe falta experiência. O conhecimento só é adquirido através das experiências que a vida proporcionar a cada um. É como dizer que alguém só vai melhorar em algo após ter tempo de prática, ou após muito observar alguém.

    ResponderExcluir
  23. Leonardo Gonzaga da Silva, N°25, cinema 2° Semestre.

    Aprendemos através da experiência, e a mesma pode ser transformada em conhecimento de duas formas, você mesmo vivenciando tal experiência, ou a experiência coletiva e cultural, onde se apoiam boa parte do conhecimento passado de pessoa para pessoa, pois acredito que o cérebro é uma folha em branco a ser pintada, porém você já nasce em uma sociedade com experiências e costumes, e mesmo sem perceber você é totalmente influenciado e pintado por coisas que nela já existem. Um exemplo: se você nasce em uma sociedade onde culturalmente todos são católicos, você de forma inconsciente vai ser levado a aderir ao catolicismo. Raramente existem exceções a esse caso. Ou resumindo, a sociedade também influencia em muito na construção do conhecimento.

    ResponderExcluir
  24. Nome:Letícia Mayara Martins de Oliveira
    Nº22
    Curso: Rádio e TV - 2º Semestre

    Na visão de John Locke para que se tenha uma aprendizado é necessário passar por uma experiência, ou seja, é como a vida, nascemos sem saber nada e passamos por experiencias e com isso, podemos aprender. É através da experiência que se tem um aprendizado. Portanto pode-se ter uma reflexão e absorção do que se aprendeu, é possível observar que através disso podemos chegar o mais próximo conhecimento.

    ResponderExcluir
  25. Gislaine Delconte, N°20, Rádio e TV - 2°Semestre


    Segundo Locke a mente humana era como uma folha em branco que receberia impressões através dos sentidos a partir das experiências do indivíduo, sem trazer consigo, do nascimento, quaisquer idéias tais como a de "extensão", de "perfeição".
    Ele rejeitava a doutrina das ideias inatas e afirmava que todas as nossas ideias tinham origem no que era percebido pelos sentidos;Locke diz ainda que os argumentos que fundamentam a teoria do inatismo não têm valor de prova, por exemplo, o fato de haver certos princípios, tanto teóricos como práticos, universalizados não servem como prova para o inatismo porque os mesmos também só podem ser adquiridos mediante a experiência e alguns dos princípios considerados como universais não o são devido ao fato de boa parte da humanidade ignorá-los. Locke escreveu o livro "Ensaio acerca do Entendimento Humano", onde desenvolve sua teoria sobre a origem e a natureza de nossos conhecimentos.

    ResponderExcluir
  26. nossa observação supre nossos entendimentos com todos os materiais do pensamento. Dessas duas fontes de conhecimento jorram as nossas ideias, ou as que possivelmente teremos."

    As primeiras experiências essas estéticas , a explicação para o bebe quando se inicia na descoberta do novo mundo , novo ambiente levando tudo que encontra a boca tendo a necessidade da experiência não só visual mas como também as demais . Quanto a questão social , o meio em que vivemos nos molda , os valores estabelecidos pela sociedade , as regras , as punições ja nos são apresentadas logo nos primeiros anos de vida .

    Larissa Duarte nº22 Cinema , segundo semestre

    ResponderExcluir
  27. Camila Ferreira - 47 - Cinema e Audiovisual 2º Semestre

    Em um de seus livros, Locke faz a seguinte citação: "E se a humanidade houvesse sido dotada de tão somente quatro sentidos, então, as qualidades que são o objeto do quinto sentido estariam tão afastadas de nossa noticia, de nossa imaginação e de nossa concepção, como podem estar agora as que poderiam pertencer a um sexto, sétimo ou oitavo sentidos". Esse trecho, assim como todo o resto de sua teoria, faz com que eu concorde. Todas as nossas ideias, modo de pensar, todo conhecimento e até mesmo modo de ser originam-se de experiências já passadas, são as experiências que moldam o ser humano. Isso se torna bem visível em crianças, elas não têm muitas experiências e por isso não tem o mesmo conhecimento que alguém mais velho ou até mesmo que outra criança da mesma idade, que viveu experiências diferentes da dela.

    ResponderExcluir
  28. Para John Locke a busca do conhecimento deveria ocorrer através de experiências e não por deduções ou especulações. Desta forma, as experiências devem ser baseadas na observação do mundo.Também descartando as explicações baseadas na fé.
    Também afirmava que a mente era uma tábula rasa como uma folha em branco. As experiências que esta pessoa passa pela vida é que vão formando seus conhecimentos e personalidade, assim essa tábua rasa ficava marcado com tudo o que o indivíduo conhecia. Defendia também que todos os seres humanos nascem bons, iguais e independentes. Desta forma é a sociedade a responsável pela formação do indivíduo.

    Nome: Renata Biagio
    n° 43
    2° Semestre
    Publicidade e Propaganda

    ResponderExcluir
  29. Eliana Pinheiro da Silva. nº 15. Publicidade e Propaganda - 2º semestre

    Para Locke nossas ideias têm origem através do conhecimento empírico, ou seja, através do que adquirimos no dia-a-dia, com base nos erros e acertos. É um conhecimento através da observação e da experiência. Sendo assim, para Locke não existem ideias inatas, que nascem com as pessoas, as pessoas tiram suas ideias das experiências de sua vida (como o crescimento de uma criança). Essas ideias que tiramos da experiência são ideias simples e nosso intelecto tem a capacidade de combinar essas ideias e criar ideias complexas.

    ResponderExcluir
  30. Jennifer de Oliveira, n° 06 - Rádio e TV / 2° Semestre

    Jonh Locke se considera como um preparador, ele tenta remover algo que não agrega a ciência, ou seja, aquilo que os outros filósofos perderam tempo pensando e que não que conseguiram trazer um conhecimento de fato, seria pra ele a metafisica onde as idéias são inatas.
    0 empirismo dele não é algo radical, para Locke as grandes partes das nossas experiências de vida deixam impressões na nossa mente, e através da interpretação dessas experiências que registramos na mente que vamos construindo o conhecimento.

    ResponderExcluir
  31. Larissa Forchetto, n 23 - Cinema - 2 semestre

    De acordo com Locke, todos os nossos conhecimentos são adquiridos por meio de nossas experiências através do tempo e a mesma pode ser transformada em conhecimento de duas formas, você mesmo vivenciando tal experiência, ou a experiência coletiva e cultural, onde se apoiam boa parte do conhecimento passado de pessoa para pessoa.
    Então no final de tudo, isso seria um acúmulo de estímulos visuais e sensoriais ao longo da vida das pessoas.

    ResponderExcluir
  32. Isabella Calderone - Cinema - 2º Semestre (Adaptativa)

    Locke afirma, que nós nascemos como uma ''folha de papel em branco'', e conforme nossa vida passa, vamos adquirindo nossa personalidade, que advém de todas as pessoas que nos rodeiam diretamente ou indiretamente, vamos adquirindo nossa opinião, nossas preferências, enfim, como diz ele, a experiência. O que nos torna a pessoa que somos hoje e que podemos ser amanhã, são justamente essas experiências, que vêem para mudar como pensamos, e como reagimos diante da vida.

    ResponderExcluir
  33. Luiza Melo, nº 10 RTVi - 2º Sem.

    Locke apresenta a ideia de conhecimentos adquiridos pela experiência. As experiências nos marcam para a vida e delas vamos conquistando conhecimentos, porque ao passar por aquela situação conseguimos já entende-la , pensar nela e soluciona-la.

    ResponderExcluir
  34. Ana Laura Crepaldi - RTV - N 01 - 2 semestre

    Para Locke a fonte de tudo é nossa experiência, sem ela nossa mente é uma folha em branco, a partir do nosso conhecimento teremos ideias que preencham nossa folha em branco, que é capaz de armazenar infinitas ideias, e só somos capazes disso através da experiência. Reflexão e observação, são coisas que agregam no nosso conhecimento fazendo com que a cada dia aumentemos nossa mente. Tudo o que temos hoje em nossa mente, veio de nossas experiência.

    ResponderExcluir
  35. Júlio César da Silva, n° 31 - 2° Semestre de publicidade e propaganda.

    Para John Locke o homem vem antes de qualquer organização e em seu estado natural é livre, contudo, já é dotado de razão, o que o orienta de certa forma a delimitar o seu direito e liberdade, “o meu direito termina onde começa o direito do outro. A razão também ressalta que não tem sentido atentar contra a liberdade do outro, pois a terra e seus frutos são suficientes para todos. Todavia, a partir do momento em que não se segue o que a razão determina surgem os criminosos, causadores de conflitos e guerras.
    Com o surgimento desses problemas os homens se unem e formam um pacto e fundam a sociedade civil, onde o ato de justiça com as próprias mãos é limitado, mas é consolidado e garantido os direitos do indivíduo no estado de natureza.
    Locke defende que a propriedade existe mesmo no estado natural e é através da capacidade de trabalho e esforço que o individuo toma posse para si de tal propriedade ou terra. Entretanto, com o surgimento do dinheiro possibilita-se a pratica da troca e o acúmulo de riquezas, e as terras e propriedades passam a ser limitadas e é partir daí que muitas vezes acabam surgindo conflitos e entra-se no estado de guerra.

    ResponderExcluir
  36. Leonel Danilo Mingnoni, nº52 - Cinema - 2º Semestre

    O conhecimento empírico defendido por Locke é extremamente pertinente e, com certeza, base para os demais tipos de conhecimento, principalmente se olharmos para o passado, nos primeiros homens. O homem precisou observar , testar, praticar, e assim adquirindo toda essa experiência, conseguir gerar fogo. E só depois de muito tempo, com o conhecimento científico, aprendemos como isso funciona. Sendo assim, a evolução da humanidade se confirma através do empirismo.

    ResponderExcluir
  37. Thiago Alessandro Oliveira, n°15 - RTV - 2° semestre

    Segundo Locke, a mente do ser humano é como uma folha em branco, onde apenas com o passar do tempo e com as experiências obtidas em nossa vida é que vamos adquirindo conhecimento e consequentemente moldando uma personalidade.

    ResponderExcluir
  38. Beatriz Bidinotti - n 03- Cinema - 2 semestre
    Seguindo as ideias de Locke, sendo a mente humana um 'papel em branco', estamos disponíveis a receber e armazenar todo tipo de informação provida das experiências que se tornam conhecimento; o que torna ainda mais interessante seus conceitos, pois, não só anulam a ideia de 'dom' como habilidade sem mérito, como também mostra o quão amplo o homem é, sendo uma folha em branco que pode ( e deve) adquirir informações.

    ResponderExcluir
  39. Murilo Yago Moura - Nº 11 - Rádio e TV - 2º Semestre
    Segundo Locke, não nascemos já com algo pré destinado, e sim sem nada prescrito em nossa vida e caminhada, assim sendo um "papel em branco", que ao passar do nosso dia a dia, da nossa vida, vai ganhando cores e frases que vão nos fazendo a pessoa que nos tornaremos, com pensamentos e experiências vivenciadas para termos armazenadas em nossas vidas, assim podendo começar a se pensar em ideias e histórias, a partir de experiências vividas.

    ResponderExcluir
  40. Larissa Gomes - Nº 50 - Cinema e Audiovisual - 2 º Semestre

    Seguindo a linha do empirismo, que admite que todo conhecimento vem da experiência, Locke busca compreender a função e os limites do entendimento humano. De acordo com ele a mente é desprovida de conteúdos e o saber humano é determinado pelas impressões vindas da sensação, não de um fundamento inteligível inato.

    ResponderExcluir
  41. Bruna Maria n°45 - Cinema - Segundo Semestre

    Concordo com Locke, quando nascemos não temos conhecimento algum, mal sabemos falar e para que nossa mente não fique vazia como "um papel em branco" é necessário ter experiência por que sem ela ficaremos limitados a ignorância. Por exemplo, podemos comparar nossa vida como um jogo, onde começamos sem experiência alguma e assim mal saber jogar, mas a cada fase concluída adquirimos mais experiência e por fim melhorando nossas habilidades para que possamos sobreviver no decorrer do jogo.Isso é a vida.

    ResponderExcluir
  42. Fernanda de Lima nº 11 - Cinema - 2º semestre

    Ao comparar a mente humana com um papel em branco, Locke nos mostra que não há limites para o conhecimento, quem define esses limites somos nós mesmos, decidindo se queremos ou não, se nos interessa ou não, se nos é proveitoso ou não aprender sobre um dado assunto. E mais importante do que isso, o conhecimento só se concretiza de fato com a experiência. Só preenchemos o vazio de nossas mentes se "colocamos em prática" aquilo que aprendemos. É o que os chamados gênios fazem, aprendem com seus erros e os revertem em resultados positivos pois já sabem onde não podem errar.

    ResponderExcluir
  43. Ana Paula Casagrande - Nº 5 - Publicidade e Propaganda - 2º semestre

    Para Locke, ninguém nasce com ideias prontas nem com uma vida pré determinada, cada pessoa trilha seu caminho e cria seu modo de pensar através das experiências que viveu e com tudo o que acontece ao seu redor. Todos os fatos que passamos pela vida contribuem de alguma forma para a aprimoramento do nosso modo de pensar e a melhoria da nossa vida, nos ajudando a deixar de ser um papel em branco.

    ResponderExcluir
  44. Maria Victória Gomes - Nº 58 - Publicidade e Propaganda - 2º semestre

    Quando John Lock compara a mente humana à um papel em branco ele nos mostra que nascemos sem conhecimento algum, dependemos de outras pessoas para sobreviver e aprender. Mas conforme vamos crescendo adquirimos nosso próprio jeito de pensar, criamos o nosso próprio ideal através das experiências. E tudo que passamos na vida seja os momentos bons ou ruins é sempre um aprendizado somando à nossa bagagem de conhecimento.

    ResponderExcluir
  45. Lucas Vinícius Vicentini, nº 44 - CINEMA, 2º Semestre

    O conceito de empirismo defendido por John Locke pode ser reconhecido em diversos aspectos de nossas vidas: Desde que nascemos adquirimos conhecimentos e os armazenamos, desde aprender a engatinhar, andar, falar até a vida adulta. Tudo pelo que passamos em nossas vidas, todas as experiências, se tornam conhecimento, nos ajuda a evoluir.

    ResponderExcluir
  46. Kaíque Padilha Antunes - N°21 - Cinema e audiovisual- 2° semestre.

    Somos "colocados" na vida para viver e consequentemente aprender, isso a partir da ideia que o homem precisa preencher o livro em branco que é sua história, também é válido considerar os valores culturais, já que hereditariamente somos ensinados a odiar e amar, herança essa que temos de figuras já formadas (pais, avós, tios). Não só criamos ideais a partir de nossas experiências, como também idealizamos a partir do mundo que está a nossa volta.

    ResponderExcluir
  47. Thuanne Souza - Nº16 - Rádio e televisão - 2º semestre.

    Quando nascemos, a nossa mente é como um papel em branco, onde nós mesmos é que iremos preenche-lo, através das vivências, experiências, sendo elas boas ou ruins, a cada dia vamos escrevendo nossa história e traçando no nosso "papel" o que nos interessa e o que não interessa.Cada experiência, se reflete em conhecimento, aprimorando nosso modo de pensar.

    ResponderExcluir
  48. Gabriel Gomes de Campos - nº13 - Cinema e Audiovisual - 2º Semestre

    Locke diz que as ideias são derivadas da experiência que acaba influenciando a sensação e a reflexão nelas inclusas. E como nossa mente trabalha é uma junção das duas coisas (sensação e reflexão) pois quando lembramos de uma sensação, acabamos refletindo sobre ela, se ela é boa ou não, de acordo com a experiência que tivemos com ela. Isso acaba desenvolvendo o nosso conhecimento, trazendo e florindo nossas ideias, mostrando que a junção dos fatores que faz o conhecimento acontecer, trazendo consigo as ideias que acabam se formando em nossos pensamentos. Sendo assim, sua comparação da mente humana com um 'papel em branco' mostra que de acordo com nossas experiencias, podemos encher nosso 'papel' de conhecimentos, preenchendo nosso acervo que é a nossa mente.

    ResponderExcluir
  49. Gabriel Martins Mastroberardino - nº14 - Cinema e Audiovisual - 2ºsemestre

    Seguindo a linha de pensamento de Locke, podemos dizer que todo ser humano é um reflexo do período e local onde viveu, ao meu ver mais especificamente no período da juventude a parte da vida adulta, e a partir de experiências pessoais o ser humano vai se individualizando, com características e personalidades diferentes.

    ResponderExcluir
  50. João Henrique Lima Araújo - nº19 - Cinema e Audiovisual - 2º Semestre

    A teoria de conhecimento empírico de Locke pode ser observada em tarefas do cotidiano que nos foram ensinadas a partir da experiência; desde a escrita e leitura, até o comportamento diante determinadas situações e pessoas. Tudo é observado e absorvido e, pela repetição, aprimorado em outra oportunidade. A base desse conhecimento também pode conter questões dogmáticas que foram passadas de sua família para você e então se tornou uma norma pessoal. Tudo isso se resume em sua própria personalidade e em suas ações no dia a dia.

    ResponderExcluir
  51. John Locke afirma que as nossas ideias vem das nossas experiências e do nosso conhecimento, do que vivemos e presenciamos. As nossas idéias surgem na nossa mente a partir dessas duas coisas. Conclui então que uma pessoa sem experiência e sem conhecimento é como um papel em branco, sem idéia na mente.

    Gabriel Lima Matera - n°49 - Cinema e Audiovisual - 2° Semestre

    ResponderExcluir
  52. Paula Leticia - nº56 - cinema e audio visual - 2º semestre

    Para John Locke nossas ideias, sentidos e conhecimentos vem das nossas experiencias vividas no dia a dia ao longo da vida.
    Uma mente vazia é alguem sem experiencia, que não vivenciou suficiente para suprir ideias. "como um papel em branco".

    ResponderExcluir
  53. Nome: Natalia Oliveira Pereira Nº: 70 Publicidade e Propaganda 2º semestra

    Na visão de Locke, tudo que somos hoje ou o que seremos amanha é pela experiência é sobre toda a nossas fonte de conhecimento. Pra ele o ser humano nasce com capacidade de raciocinar, direito à liberdade e auto-interesse. Que cada um projeta sua historia e suas ideas, com ele da o exemplo do "papel em branco"

    ResponderExcluir
  54. Isabela C. Leal Fernandes - n° 15 - Cinema - 2° semestre

    Jonh Locke afirma que só é possível adquirir conhecimento através da experiência, portanto, dos sentidos. As aprendizagens se dão por meio das tentativas e erros.
    O empirismo causou uma revolução na ciência, pois graças a valorização das experiências e do conhecimento científico, o homem passou a buscar resultados práticos, buscando cada vez mais o domínio da natureza.

    ResponderExcluir
  55. Locke sugere a ideia de que somos a soma de experiências, que nos levam ao conhecimento. Portanto, duas pessoas que vivem em ambientes e experiências parecidas tendem a ter uma visão de mundo parecido.
    Nossas convicções, crenças e escolhas são baseadas nos mais diversos conteúdos que fomos expostos. Uma criança é, então, livre de preconceitos e de conceitos pré estipulados.

    Mario Garcia nº 32 - Cinema e Audiovisual - 2º Semestre

    ResponderExcluir
  56. Rafael Victor de Oliveira - n°12 - Rádio e TV - 2°Semestre

    Tudo o que somos, o que pensamos , criam-se a partir das sensações e experiências. Nascemos imparciais, sem qualquer informação e opinião, com a mente como um papel em branco, e assim vamos ganhando e adquirindo conhecimentos ao longo da vida.

    ResponderExcluir
  57. O teoria da Tabula Branca resume na folha de papel em branco, que passa a ser preenchida com experiencias e conhecimentos na vida de uma pessoa.
    Saulo Bozeski
    N° 14
    Radio e Tv
    2° semestre

    ResponderExcluir
  58. O teoria da Tabula Branca resume na folha de papel em branco, que passa a ser preenchida com experiencias e conhecimentos na vida de uma pessoa.
    Saulo Bozeski
    N° 14
    Radio e Tv
    2° semestre

    ResponderExcluir
  59. Rosenete Silva Bittar, n 13 Rádio e TV - 2 Semestre

    Nossa mente como um papel branco que é preenchida e suprida com idéias, pensamentos, conhecimentos.
    E tudo isso se resume a um só fundamento a experiência.

    ResponderExcluir
  60. Daniele dos Santos Costa nº 63 - Publicidade e Propaganda 2º Semestre

    A experiência é a base de formação de um indivíduo (sua personalidade e ideais), pois segundo John Locke nascemos como uma folha em branco onde a sociedade em que vivemos terá grande participação em nossa composição do conhecimento, ao vivenciar diversas situações que nos formam como indivíduos. Com isso podemos concluir que o meio externo interfere em nossas ideias, a partir das nossas experiências.

    ResponderExcluir
  61. John Locke foi conhecido como o pai do liberalismo político. filosófica que defendia a ideia de que tudo é incerto, nenhum conhecimento é seguro, qualquer argumento pode ser contestado.

    Nome : Bruna Leopoldino Castanho
    Número : 57
    2º Semestre de publicidade e propaganda.

    ResponderExcluir
  62. Somos bombardeados todos os dias com ideias e novidades do da a dia e isso resulta em um alto preenchimento do papel em branco que está na nossa mentre e quando ele e totalmente preenchido a gente começa a divulgar esse ensino pois não tem mais espaço para escrever

    Evandro França
    Numero: 17
    2 semestre de publicidade

    ResponderExcluir
  63. O interessante da ideia de Locke é que ele nos coloca como iguais: papeis em branco a serem preenchidos. E o melhor é que o preenchimento desse papel é acessível a todos, já que é tudo que nos passa pelo aparelho corporal e pela reflexão. Nesse caso, ao quebrar a premissa de dons natos, percebe-se que a oportunidade de aprender novas coisas está (ou deveria estar) ao alcance de todas as pessoas.

    Aparecida Aquino
    Número: 03 (creio)
    2º semestre de Jornalismo.

    ResponderExcluir
  64. Uma comparação pessoal: como jardins fartos de belas flores, cada uma com sua essência e cor, Locke nos coloca dentro de um ciclo de experimentações. O que somos (ou o que nos tornaremos) provém do simples fato da experiência. Mostramos aquilo que queremos que vejam, portanto, a racionalidade, de certa forma, nos guia para tudo o que fazemos/somos/queremos. A razão nasceu em nós, e tudo que depois disso adquirimos, não passa de experiência e tentativas, formando o caráter a capacidade de pensar em tudo como "proposital".

    Gabriela Prado Nº 20
    2º semestre - Jornalismo

    ResponderExcluir
  65. A parte que ele diz "papel em branco" é um ótimo exemplo de como realmente viemos ao mundo, e como o papel esta em branco podemos escrever nossa própria historia, conceitos, valores e personalidade. A cada experiencia que vivemos podemos colocar cada vez mais conteúdo nesse papel consequentemente adquirindo mais conhecimento, e como John mesmo disse do conhecimento jorram as nossas ideias, ou as que possivelmente teremos.

    Julya Thaina Zago N°16
    2° semestre - Jornalismo

    ResponderExcluir
  66. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  67. Marília Gabriela Contim n° 37
    Publicidade e Propaganda 2° semestre

    John Locke, tem como ideia que adquirimos nossos conhecimentos atrás de momentos vividos e nossas reflexões, quando ele se refere a ’’ um papel em branco ‘’ . Ele tem a dizer que se é possível nos depararmos com milhões de maneiras de criar algo e com isso ter a liberdade de se expressar o que pensamos e poder suprir a necessidade de criar e inserir nosso conhecimento, de maneira, com que não se tem limite para o poço de imaginação. Mas John Locke também tinha suas visões diferente e percepções de alguns fatos, ele acreditava na maior importância sobre o ‘’Legislativo’’ dentre as outras leis, ele via que ela tinha um poder aquisitivo maior em seguida viriam as outras.

    ResponderExcluir
  68. Jeferson Gomes Figueiredo - N 26 - PP

    Para John Locke, a mente é como um papel em branco, que é preenchido com a experiencia.
    As experiências que vivemos pela vida, é que vão formando os nossos conhecimentos e também a personalidade.
    Locke Defendia também que todos os seres humanos nascem bons, iguais e independentes.portanto é a sociedade a responsável
    pela formação do cada indivíduo.

    ResponderExcluir
  69. Sarah Cândido de Sousa nº72 Publicidade e Propaganda

    Locke se considerava em muitos aspectos um preparador no qual, prepara o caminho do conhecimento retirando todo o material deixado pela sociedade ou até mesmo pelos filósofos, seriam pensamentos que não tem nexo.

    Para John as ideias inatas (Deus, perfeição, infinito ...), não existe pois não provem da experiencia, se tornando um pensador empirista. Locke enfatiza que a mente humana é como uma folha em branco, onde as experiencia tem sua particularidade e marca, e isso faz com que crie as experiencias a partir da interpretação.

    A experiencia são consequência de acontecimento do cotidiano, assim como uma criança aprende algo que é bom ou ruim a mente registra aquilo e assim vai se formando a ética, caráter entre outros, para Locke todos nascemos bons mais as experiencias e conhecimento adquirido fazem com que mudemos nossas raízes.

    Em uma cadeia a mente humana funciona para Locke da seguinte maneira: o objeto se transforma na nossa mente em ideias e as ideias se transformam em palavras, sendo assim as palavras signos que representam nossas ideias. E assim são gerados muitos debates sobre este pensamento de Locke, será que as ideia inatas realmente não existem?

    ResponderExcluir
  70. RAFAEL DALMOLIN DE FREITAS - 39 - PUBLICIDADE E PROPAGANDA

    Para John Locke, uma folha em branco é comparada a nossa mente, e a experiência é que preenche essa folha, na vida vivemos experiências que vão descrevendo nossa personalidade e nosso conhecimento, assim então a sociedade é responsável pela formação de cada um de nós.
    Segundo Locke todos nascem bons!

    ResponderExcluir
  71. Alan Alexandre Cardozo Nº01 Publicidade e Propaganda / 2º SEMESTRE

    Para John Locke a busca do conhecimento deveria ocorrer através de experiências e não por deduções ou especulações. Desta forma, as experiências científicas devem ser baseadas na observação do mundo. O empirismo filosófico descarta também as explicações baseadas na fé.
    Locke também afirmava que a mente de uma pessoa ao nascer era uma tábula rasa, ou seja, uma espécie de folha em branco. As experiências que esta pessoa passa pela vida é que vão formando seus conhecimentos e personalidade. Defendia também que todos os seres humanos nascem bons, iguais e independentes. Desta forma é a sociedade a responsável pela formação do indivíduo. A teoria daTabula Branca se resume bem na folha de papel em branco, que passa a ser colocada ou adquirida com experiencias diarias e conhecimentos na vida de uma pessoa!

    ResponderExcluir
  72. Gabriel Vinicius Lemos - 20 - Publicidade e propaganda - 2° Semestre

    Para que se possa escrever um livro há a necessidade de ter o conhecimento e por onde posso obtê-lo?.De acordo com John nossa mente é um papel vazio, em branco e para que possamos preenche-lo temos que ter experiencia, ter vivido.A experiencia pode ser um dos meios de agregar conhecimento e John deixa isso claro em seu pensamento e declarações.

    ResponderExcluir
  73. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  74. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  75. A ideia de que as coisas futuras serão formadas pelas experiências passadas trás átona o exemplo mais que válido sobre a mente ser um "papel em branco", pelo simples ato de vivenciar algo (sendo positivo ou não) torna nossa mente mais clara para querer ou não passar novamente por tal experiência. A sociedade tem parâmetros do que é certo e o que é errado a partir dessas limitações é que passamos por diversas situações, se a sociedade em que vivo diz que é errado seria melhor não fazer pois o resultado deve ser ruim e eu não quero me prejudicar, sendo assim a sociedade molda (manipula) as experiências individuais. Mas muitas vezes a sociedade poder estar equivocada passando uma autoridade em que se o indivíduo não tivesse esse medo poderia descobrir novos horizontes.


    Munick Rodrigues, n 12, Jornalismo 2Semestre

    ResponderExcluir
  76. Nossa experiência, vai sendo adquirida a cada momento vivido em nossa vidas. Com o passar dos anos vamos construindo nosso caráter, com valores e conhecimentos, aqueles que podemos discernir o que é certo e o que é errado. Como "um papel em branco" a história pode até ser apagada, mas sempre haverá uma sombra que foi para trás. Não podemos mudar o que já passou e sim fazer de modos diferentes.
    Julia Borges Nº 9, 2º semestre de Jornalismo.

    ResponderExcluir
  77. Só adquirimos o conhecimento quando descobrimos o mundo, quando somos crianças começamos a ter sabedoria pois vamos começar a ter experiências, e assim desenvolvemos reflexões, pensamentos, sentimentos, que vai nos caracterizando a partir dos anos e do auto conhecimento e com cada experiência e momento vivido vamos deixando de ter folhas em branco e começamos a construir nosso livro pessoal, constituído por tudo que nos completa e soma pela vida, quanto mais saber mais objetivos, sonhos e desejos.

    Juliana Dayara, N° 18 Jornalismo

    ResponderExcluir
  78. Jonh Lock acreditava que tudo que sabemos, foi criado por meio de experiências, ou seja nascemos para aprender, viemos sem conhecimento algum, assim não com apenas boatos do que ouvimos falar mas sim pelo que vivemos podemos ensinar outras pessoas, e nunca deixando de lado a vontade de viver novas experiências.

    Raissa Nunes N° 14, Jornalismo - 2° semestre

    ResponderExcluir
  79. Alexia Berton - nº: 03 - II Publicidade e Propaganda

    Segundo Locke, somos uma folha em branco que será escrita a nossa história ao longo dos anos de vida. Ou seja, nascemos ignorantes e recebemos o nosso conhecimento através da experiência vivenciada. Para isso, a motivação e o processo de engajamento com quem deseja a experiência é indispensável.

    ResponderExcluir
  80. Locke acredita que todo ser humano nasce teoricamente vazio de conhecimento, "como uma folha em branco. No parágrafo presente ele questiona : de onde vem aquilo que supre o estoque da mente? Uma resposta que me parece lógica seriam os sentidos, forma pela qual o indivíduo aprende segundo teorias pela imitação e observação, figurando no texto do autor como experiência. O que fica no ar é : Os deficientes desses sentidos, audição, visão, de que maneira eles aprendem já que não podem se basear em observação e imitação? A melhor e mais marcante característica da experiência pra mim é que ela é pessoal e muito particular...
    Boa noite à todos....

    ResponderExcluir
  81. Franciely Silva Nº 07, 2º semestre de Jornalismo.

    Se levarmos em consideração a indagação, ele, John Locke, logo, escrever nesta folha as suas vivências e experiências de próprio punho é escrever sua própria história. Assim sendo, o homem é ator. De onde vem todos os materiais e razões de conhecimento, tendo em palavra a experiência e grande potencial.
    O foco que ele teve , e o resultado da história, necessariamente, teve começo, meio e fim.

    ResponderExcluir
  82. Segundo John Locke, os pensamentos e ações só podem ser adquiridos diante de uma experiência, nem todos os fundamentos são provados apenas através de argumentos. Nossas vidas são folhas em branco, que serão preenchidas através do que vivemos, e desta forma nos formaremos.

    Thaís Lima de Assunção - nº 73 - 2º semestre de PP

    ResponderExcluir
  83. Thais Nunes do Espírito Santo nº 47
    Ciências Politicas - 2º semestre - Publicidade e Propaganda

    Para John Locke todo o conhecimento que temos hoje foi adquirido através de nossas experiências cotidianas (empirismo), ou seja, nós não nascemos com um conhecimento pronto (inato), nós o adquirimos a partir de nossa vivência, através das percepções sensíveis. Dessa forma ele acreditava na racionalidade dos indivíduos em sociedade, dotados do conhecimento adquirido durante a vida e unidos por seus direitos.

    ResponderExcluir
  84. John Locke defendia que todas as nossas ideias eram obtidas através dos sentidos e experiências. Que aos nascermos, somos como um papel em branco(tabula rasa) e com o tempo vamos escrevendo nossa história, personalidade, caráter e forma de pensar através do que vivenciamos e captamos através dos nossos sentidos. O preenchimento desse papel muitas vezes provém de nossas escolhas, outras das oportunidades ou infortúnios que a vida nos reserva.
    Elza Ribeiro dos Santos Mendonça, número 06, matrícula 103852. Curso de Jornalismo.2 semestre.

    ResponderExcluir
  85. Giovanna Brito Bianchi - N° 22 - Publicidade e Propaganda - 2° semestre

    John Locke defende que nossas ideias são extraídas através das nossas experiências.
    Que nós nascemos e iniciamos algo como um "livro em branco", e a partir das experiencias são formadas as nossas ideias e decisões.
    Todas as ideias derivam da sensação ou reflexão, e a partir daí somos formadores de opinião.

    ResponderExcluir
  86. Caroline Mello da Silva - N° 62 - Publicidade e Propaganda - 2° Semestre

    John Locke disserta que a fonte do conhecimento humano parte da experiência adquirida através dos anos, em outras palavras, ele diz que o conhecimento tem um início externo. Fora do homem.
    As ideias são os objetivos do conhecimento, a matéria do qual o conhecimento é formado.

    ResponderExcluir
  87. Thaís Maranzano Nº 48 II Semestre de Publicidade e Propaganda


    John Locke busca o conhecimento profundo das capacidades da razão humana, busca conhecer melhor as qualidades e qual é o valor dos conhecimentos que conseguimos ter. Espera dessa forma definir onde começa e até onde pode ir nossa capacidade de conhecer.
    Se conhecemos quais os limites da nossa capacidade de conhecimento não vamos gastar energia com coisas que estão além do nosso poder e fugiremos de disputas intelectuais sobre as quais não conhecemos os suficiente.
    Existem dois tipos de experiência, as externas, que derivam as sensações, e as internas, as que resultam as reflexões. As ideias estão em nossa mente, mas no mundo externo existe algo que tem a capacidade de produzir em nós essas ideias.
    Locke acreditava que os principais fundamentos da regra morais são a busca da felicidade pública e evitar a deterioração da sociedade, defendia um estado democrático e a liberdade dos indivíduos perante esse estado.

    ResponderExcluir
  88. John Locke diz que adquirimos conhecimento através de nossas experiência, pois após passar por uma nova experiencia em nossa vida nos adquirimos conhecimento sobre aquilo, pois ao passar por aquela situação conseguimos já entende-la.

    André Lucas de Almeida - Nº06 - Publicidade e Propaganda - 2° Semestre

    ResponderExcluir
  89. Gabriela Pedroso - Nº 21 - Publicidade e Propaganda 2º Semestre

    A grande perspectiva de John Locke era uma análise da relação com o governo e o liberalismo, ele contrapõe as ideias de Platão que defende que nós ao nascermos, já temos um conhecimento prévio e basta apenas recordar pela teoria da reminiscência algo que está suplantado dentro de nós e assim como defende a teoria da inatas na modernidade.
    Ao utilizar a metáfora "um papel em branco", Locke diz que ao nascer e ao conviver vai confrontando seus sentidos com a experiência, você ouve, visualiza, sente, no decorrer da vida adquirindo conhecimento. Vamos nós construindo a partir das experiências, a partir do contato com os sentidos da realidade, não existe nada na mente humana que antes não tenha passado pelos sentidos.

    ResponderExcluir
  90. Diego Felipe Pereira, n°10, Publicidade e Propaganda 2° Semestre.

    Para John Locke nossa mente é como um papel em branco, desprovida de ideias e todo o conhecimento deriva das experiências e da observação, logo, tudo que percebemos, refletimos e aprendemos se torna parte do que conhecemos, construindo desta forma nossas ideias.
    Algo que embasa e concretiza está tese, são nossas próprias atitudes, nas quais para se adquirir excelência em alguma área, precisa praticar, estudar e refletir, para então se especializar nela.

    ResponderExcluir
  91. Robson Fernandes de Souza, Nº38, Cinema e Audiovisual, 2º Semestre

    Muito difícil discordar de John Locke, que ao afirmar que nascemos como uma folha em branco, contextualiza Aristoteles com sua "Tabula Rasa", e mais tarde o conceito é contextualizado novamente na Modernidade fundamentando o Empirismo. Mark Twain escreve um ótimo livro entitulado "O Principe e o Mendigo em que duas crianças parecidas nasce no mesmo dia em situações econômicas diferentes. O livro não é tão fiel ao conceito, porém ilustra a vida real, em que o "filho do rico" que nasceu em berço nobre se torna uma pessoa diferente do "filho do pobre" que nasceu na favela. Todas as condições em que foram criadas e influências externas e internas moldam o sujeito que se torna. Por isso a importância de se estudar e ter um pensamento crítico: para não ser só mais um produto da sociedade em que nasceu.

    ResponderExcluir
  92. Renato Macena, Jornalismo, 2° semestre, n° 15.

    O pensamento de Locke é muito interessante. E no fim das contas, está certo, todos nós somos uma folha em branco prestes a ser preenchidas com o aprendizado -conhecimento- e, que sempre estamos em constante aprendizado com as ações que tomamos, e escrevendo as nossas histórias com base em nossas reflexões do que achamos do que seja certo e errado.

    ResponderExcluir
  93. Júlio César da Silva - n° 31 - 2 ° Sem. Publicidade e Propaganda

    Nascemos puros, como um livro aberto a ser escrito. Para Locke é assim que se pode definir a mente humana em seu estado inicial de vida, onde todo esse branco será preenchido através das sensações e experiências vividas pelo indivíduo ao longo de sua jornada terrena.

    ResponderExcluir
  94. Aline Augustinho, n°04. 2° semestre de PP

    Concordo com a reflexão de Locke sobre experiência, e de fato nosso mente no início da vida é como um papel em branco e com o passar dos anos, dos acontecimentos, daquilo que aprendemos e das nossas experiências, vamos adquirindo conhecimentos que consciente ou inconscientemente vão sendo guardados em nossa mente.

    ResponderExcluir
  95. FELIPE WILLIAM CORREA / nº 64 / 2º SEM PP

    A nossa experiência é o que vai preenchendo essa folha em branco, de acordo com tudo que vamos aprendendo na vida. É interessante pensar por esse lado poque conseguimos analisar como é o pesamento das pessoas de acordo com cada coisa, mesmo que pessoas vivam experiencias iguais, podem ter pensamentos diferentes.

    ResponderExcluir
  96. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  97. JOHN LOCKE dizia que ele era um ajudante de uma forma geral, preparava terreno e removia o entulho que o atrapalha. Por que ele pensava assim? significava tudo que não precisa e não agregava na sua filosofia.
    De acordo com ele nós iria complementando toda folha em branco que vamos aprendendo com o decorrer da nossa vida.

    Caio vinicius Silva de Oliveira Preto (PP) N:08

    ResponderExcluir
  98. Para Locke, o ser humano nasce com capacidade de raciocinar, direito à liberdade e auto-interesse. Que cada um projeta sua historia e suas ideas, com ele da o exemplo do "papel em branco" que iriamos preenchendo com nossas experiências.

    ResponderExcluir
  99. Jhon exemplifica bem o processo de formatação do pensamento e conhecimento através da metáfora do "papel em branco". os cineastas, por exemplo, realizam obras de acordo com experiências e sensações pessoais, para que aquilo que queiram passar para o espectador seja realista e atinja o propósito desejado.
    todo o conhecimento que temos hoje foi adquirido através de nossas experiências cotidianas (empirismo), ou seja, nós não nascemos com um conhecimento pronto (inato), nós o adquirimos a partir de nossa vivência, através das percepções sensíveis. Dessa forma ele acreditava na racionalidade dos indivíduos em sociedade, dotados do conhecimento adquirido durante a vida e unidos por seus direitos.

    ResponderExcluir
  100. Fernanda Cristina Araújo da Silva, N°19, 2° semestre Publicidade e Propaganda

    Para Locke, somos uma página em branco, que conforme um tempo vamos colhendo informações, devido as nossas experiencias. O filosofo acreditava e defendia também que todos os seres humanos nasciam bons, iguais e independentes. Sendo independentes e livres, vamos aos poucos vivendo e aprendendo, e preenchendo essa pagina branca.

    ResponderExcluir
  101. Ana Caroline de Santana, 60- 2º Semestre PP

    Locke, compara nossa mente como "um papel em branco", quer dizer que realmente ela é de fato, assim, , nós passamos a adquirir o conhecimento das coisas através da vivência e das experiências que nos são proporcionadas. A vida em sociedade pode nos influenciar sobre o que acreditamos ser bom ou ruim. E ao ir vivenciando diversas situações, nós estamos sempre aprendendo.

    ResponderExcluir
  102. Locke acreditava que somos o que somos por decorrência da experiência que vida que possuímos. Como se ao nascer fossemos uma folha em branco, e ao decorrer dos anos, nossas caracteristicas e personalidade fossem sendo "pintadas" conforme a influencia da sociedade na nossa mente, que hora nos induzem ao bem e hora ao mal.

    Djuna Makisiny nº12
    2º semestre PP

    ResponderExcluir
  103. Locke compara a nossa mente a uma folha em branco, e a experiência é que preenche essa folha, na vida vivemos experiências que vão descrevendo nossa personalidade e nosso conhecimento, assim então a sociedade é responsável pela formação de cada um de nós.
    Segundo Locke todos nascem bons, porém o que torna alguém diferente é a busca pelo conhecimento.

    José Henrique Souza nº 29
    Publicidade e Propaganda 2º semestre

    ResponderExcluir
  104. John Locke defende o conhecimento empirista, mas não radicalmente, pois em alguns momentos diz que há algumas coisas que o ser humano aprende por dedução. É contra as ideias inatas de Descartes e adepto das análises de Aristóteles. Também era contra o estado absolutista, pensando antes de Mostequieu na divisão dos poderes em Executivo, Legislativo e Federativo.
    Locke queria construir um caminho para o verdadeiro conhecimento científico, como um ajudante de jardineiro que retira o entulho para deixar o terreno livre. Para ele, a mente é uma tábula rasa, uma folha em branco, que é marcada pelas experiências vividas e constitui nosso conhecimento.
    Acredito que nossa mente é capaz de absorver todos os tipos de estímulos que se encontram ao nosso redor durante a vida, embora nem tudo fique no nosso consciente. Um exemplo disso são os sonhos, em que nossa mente é capaz de mesclar pequenos fragmentos de experiencias diárias e transformar numa situação que jamais daríamos tamanha importância. Se nossa mente é uma folha em branco imensa, está mais preenchida do que imaginamos.

    Juliana Raminelli nº30 Publicidade e Propaganda 2º Sem

    ResponderExcluir
  105. John Locke diz que ao nascer não temos conhecimento, ideias e sentimentos, pois esses serão adquiridos durante a vida, frutos do convívio com os outro e das experiências de vida adquiridas. Compara a mente à uma folha em branco que é preenchida com experiências e vivências, empurrando o indivíduo hora para o lado certo e hora para o lado errado.

    Leonardo Canesin, Cinema, nº24

    ResponderExcluir
  106. John Locke diz que ao nascer a nossa mente é como uma folha em branco e a experiência é que preenche essa folha, a cada descoberta nova e a cada tentativa que deu certo ou nao, prenche um espaço nessa folha em branco que é a nossa mente e carregamos em um livro com todas as folhas em branco preenchidas, livro que é a nossa memoria.
    Luiz Antonio Adriano Junior, 6º Semestre de Rtvi

    ResponderExcluir
  107. Lucas Guimarães/ N°67/ 2° Semestre P.P

    John Lucke quando supõe que nossa mente é como um papel em branco, remete ao nosso nascimento, e que a partir disto escrevemos nossa própria historia, através do que vemos e sentimos (experiência) e então construímos nossas próprias ideias.

    ResponderExcluir
  108. Lucas Guimarães/ N°67/ 2° Semestre P.P

    John Lucke quando supõe que nossa mente é como um papel em branco, remete ao nosso nascimento, e que a partir disto escrevemos nossa própria historia, através do que vemos e sentimos (experiência) e então construímos nossas próprias ideias.

    ResponderExcluir
  109. Jean Marcos Nicacio N°25 - 2° Semestre PP

    Para John Locke, o indivíduo era uma “tabula rasa”, podendo e devendo ser condicionado e modelado pela educação. A formação do indivíduo deveria abarcar a educação do corpo, a educação moral e a educação intelectual de forma integrada.

    ResponderExcluir