"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém" Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios

"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém [...]". (Carta do Apóstolo Paulo aos cristãos. Coríntios 6:12) Tudo posso, tudo quero, mas eu devo? Quero, mas não posso. Até posso, se burlar a regra; mas eu devo? Segundo o filósofo Mário Sérgio Cortella, ética é o conjunto de valores e princípios que [todos] usamos para definir as três grandes questões da vida, que são: QUERO, DEVO, POSSO. Tem coisas que eu quero, mas não posso. Tem coisas que eu posso, mas não devo. Tem coisas que eu devo, mas não quero. Cortella complementa "Quando temos paz de espírito? Temos paz de espítito quando aquilo que queremos é o que podemos e é o que devemos." (Cortella, 2009). Imagem Toscana, Itália.















quinta-feira, 29 de novembro de 2012

ATIVIDADE DO A.P.E. TRIMESTRAL - 7ºs ANOS - COLÉGIO SER - SOROCABA


AS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS E O GOVERNO GERAL NO BRASIL
Por Rainer Sousa*
Nas primeiras décadas do século XVI, Portugal, ainda atraído pelo comércio oriental, restringiu ao extrativismo suas ações de exploração do território colonial brasileiro. Dessa forma, realizava poucas expedições que somente transportavam as toras de pau-brasil que eram trazidas pelos índios ao litoral e organizavam algumas expedições de proteção e reconhecimento do litoral brasileiro.

Apesar dessas ações, a ameaça de invasão dos corsários estrangeiros, principalmente franceses, obrigou a Coroa Portuguesa a rever sua política de ocupação na colônia. A primeira medida tomada nesse sentido aconteceu em 1530, quando a expedição de Martim Afonso de Sousa foi enviada com os primeiros colonos a se fixarem definitivamente no espaço colonial. Por obrigação, Martim Afonso e os demais colonizadores deveriam fundar vilas, povoar e desenvolver a economia local.

No ano de 1534, dando continuidade ao projeto de tomada de posse, o rei dom João III dividiu a nova colônia em quinze faixas de terra. Cada um desses imensos lotes de terra integraria o sistema de capitanias hereditárias, que transferiu a responsabilidade de ocupar e colonizar o território colonial para terceiros. Nesse sistema, o rei entregava uma capitania a algum membro da corte de sua confiança que, a partir de então, se transformava em capitão donatário.

Aquele que recebia o título de capitão donatário não poderia realizar a venda das terras oferecidas, mas tinha o direito de repassá-las aos seus descendentes. No momento da posse, o capitão donatário recebia duas importantes documentações da Coroa: a Carta de Doação e o Foral. Nesse primeiro documento ficava estabelecido que o governo de Portugal cedia o uso de uma determinada capitania a um donatário e que este não poderia negociá-la sob nenhuma hipótese.

Já o Foral determinava o conjunto específico de direitos e obrigações que o capitão donatário teria em suas mãos. Ele poderia fundar vilas, doar sesmarias (lotes de terra não cultivados), exercer funções judiciárias e militares, cobrar tributos e realizar a escravização de um número fixo de indígenas. Com relação às atividades econômicas, ele poderia ter uma parte dos lucros, desde que isso não ferisse os direitos de arrecadação da Coroa Portuguesa.

Apesar de tantas especificidades e regras de funcionamento, o sistema de capitanias hereditárias acabou não alcançando os resultados esperados. A falta de apoio econômico do governo, a inexperiência de alguns donatários, as dificuldades de comunicação e locomoção, e a hostilidade dos indígenas dificultaram bastante a execução deste projeto. Com o passar do tempo, muito donatários abriram mão do privilégio e outros nem mesmo reuniram recursos para atravessar o Atlântico e formalizar a posse.

As capitanias de São Vicente e Pernambuco foram as únicas que conseguiram prosperar e superar as dificuldades da época. A explicação dada para esses dois casos se encontra nos lucros obtidos com a instalação da indústria açucareira nestas regiões. Posteriormente, os portugueses decidiram centralizar o modelo político-administrativo do território com a implantação do Governo-geral. Somente em 1759, as capitanias hereditárias desapareceram com a ação do ministro Marquês de Pombal.
 

 
Respondendo ao fracasso do sistema das capitanias hereditárias, o governo português realizou a centralização da administração colonial com a criação do governo-geral, em 1548. Entre as justificativas mais comuns para que esse primeiro sistema viesse a entrar em colapso, podemos destacar o isolamento entre as capitanias, a falta de interesse ou experiência administrativa e a própria resistência contra a ocupação territorial oferecida pelos índios.

Em vias gerais, o governador-geral deveria viabilizar a criação de novos engenhos, a integração dos indígenas com os centros de colonização, o combate do comércio ilegal, construir embarcações, defender os colonos e realizar a busca por metais preciosos. Mesmo que centralizadora, essa experiência não determinou que o governador cumprisse todas essas tarefas por si só. De tal modo, o governo-geral trouxe a criação de novos cargos administrativos.

O ouvidor-mor era o funcionário responsável pela resolução de todos os problemas de natureza judiciária e o cumprimento das leis vigentes. O chamado provedor-mor estabelecia os seus trabalhos na organização dos gastos administrativos e na arrecadação dos impostos cobrados. Além destas duas autoridades, o capitão-mor desenvolvia ações militares de defesa que estavam, principalmente, ligadas ao combate dos invasores estrangeiros e ao ataque dos nativos.

Na maioria dos casos, as ações a serem desenvolvidas pelo governo-geral estavam subordinadas a um tipo de documento oficial da Coroa Portuguesa, conhecido como regimento. A metrópole expedia ordens comprometidas com o aprimoramento das atividades fiscais e o estímulo da economia colonial. Mesmo com a forte preocupação com o lucro e o desenvolvimento, a Coroa foi alvo de ações ilegais em que funcionários da administração subvertiam as leis em benefício próprio.

Entre os anos de 1572 e 1578, o rei D. Sebastião buscou aprimorar o sistema de Governo Geral realizando a divisão do mesmo em duas partes. Um ao norte, com capital na cidade de Salvador, e outro ao sul, com uma sede no Rio de Janeiro. Nesse tempo, os resultados pouco satisfatórios acabaram promovendo a reunificação administrativa com o retorno da sede a Salvador. No ano de 1621, um novo tipo de divisão foi organizado com a criação do Estado do Brasil e do Estado do Maranhão.

Ao contrário do que se possa imaginar, o sistema de capitanias hereditárias não foi prontamente descartado com a organização do governo-geral. No ano de 1759, a capitania de São Vicente foi a última a ser destituída pela ação oficial do governo português. Com isso, observamos que essas formas de organização administrativa conviveram durante um bom tempo na colônia.


*Graduado em História - Equipe Brasil Escola
Disponível em: http://www.brasilescola.com/historiab/governo-geral.htm. Acesso em 29/11/2012. 



68 comentários:

  1. Olá Marilia ,
    Adorei esse o resumo de ''As Capitanias Hereditarias e o Governo Geral do Brasil''.
    Pois aqui vão os 6 apontamentos sobre esse resumo :
    *Em 1534 , o rei Dom João tres dividiu a colonia em quinze faixas de terra.
    *As Capitanias Hereditarias acabou não alcançando os resultados esperados.
    *No Seculo XVI , atraido pelo comercio oriontal e dificultou ao extrativismo suas ações de exploração do território colonial brasileiro .
    *Em 1530 foi quando a expedição de Martim Afonso de Sousa foi enviada com os primeiros colonos a se fixarem definitivamente no espaço colonial.
    *No ano de 1759, a capitania de São Vicente foi a última a ser destituída pela ação oficial do governo português.
    *Entre os anos de 1572 e 1578, o rei D. Sebastião buscou melhorar o sistema de Governo Geral .
    Lidiane Marques Alves 7 ano ''Vinicius De Moraes '' - Colegio Ser !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Lidiane!
      Lembrando que foi Martin Afonso de Sousa quem trouxe as primeiras mudas de cana-de-açúcar para o Brasil, para serem cultivadas na região Nordeste do Brasil.
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  2. Caros alunos, proponho uma atividade para complementarmos nosso estudo trimestral em História, neste 3º Trimestre. Trata-se de um texto do professor Rainer Sousa sobre Capitanias Hereditárias e o Governo Geral no Brasil. Vamos lá. Bom trabalho!!!
    Profª Marilia Coltri.

    ResponderExcluir
  3. Olá Marília, aqui está meu Resumo, espero que goste:
    No começo do século XVI, Portugal aderiu o extrativismo vegetal no Brasil como parte de seu comercio marítimo. Apesar disso,em 1530, Martim Afonso teve que tomar outras medidas para “espantar” os invasores. Em 1530, o rei dom João III deu continuidade ao projeto de colonização dividindo as suas terras em 15 lotes de terra chamados Capitanias Hereditárias, entregues a colonos, trabalhadores, escravos, e outros escolhidos, que eram chamados de capitães donatários, mas só dois desses conseguiram prosperar ( Pernambuco e São Vicente). Com esse fracasso, a Coroa Portuguesa aderiu a instalação do governo-geral, que era dividido em capitão-mor, ouvidor-mor e provedor-mor, essa sim teve grande sucesso. Mas, apesar do sucesso que teve o governo-geral, a Coroa Portuguesa quis aprimora-lo, então ouve a ideia de produzir açúcar, pouco comum no comercio marítimo e muito comprado pela Europa, essa ideia trouxe grande próspera e luxo para Portugal.
    Maria Paula M. Pavia 7ºV.M.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Maria Paula, excelente trabalho!
      Lembrando que além do Capitão-mor, Provedor-mor e Ouvidor-mor, a Coroa de Portugal criou as Câmaras Municipais, que tinham por responsabilidade governar as pequenas vilas que iam surgindo no Brasil, como se fossem pequenas "prefeituras". Veja isso na página 35 do nosso livro.
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  4. Nas primeiras décadas do século XVI,Portugal ainda atraído pelo comércio oriental restringiu o extrativismo suas ações de exploração do território colonial brasileiro.
    Apesar das ações,a ameaça de invasão dos corsários entrangeiros,obrigou a Coroa Portuguesa a rever sua política de ocupação na colônia.
    O rei Dom João III dividiu a nova colônia em quinze faixas de terras.
    No sistema de capitanias hereditárias,o rei entregava uma capitania a algum membro da corte de sua confiança que se transformava em capitão donatário.
    Aquele que recebia o título de capitão donatário não poderia realizar a venda de terras oferecidas,mas tinha o direito de repassa-las ao seus decendentes.
    O foral determinava o conjunto específico de direitos e obrigações que o capitão donatário teria em suas mãos.Ele poderia fundar vilas doar sesmarias,exercer funções judiciárias e militares,cobrar tribultos e realizar a escravização de um fixo de indígenas.
    O sistema de capitanias hereditárias não alcançou os resultados esperados.As unicas que conseguiram prosperar foram as capitanias de Pernambuco e São Vicente.
    Com o fracasso das capitanias hereditárias,o governo português realizou a centralização da administração colonial com a criação do governo geral em 1548.
    Ao contrário do que se possa imaginar, o sistema de capitanias hereditárias não foi prontamente descartado com a organização do governo-geral.

    Júlia Mendes

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Júlia!
      As Capitanias Hereditárias fracassaram muito também pelo fato da Coroa de Portugal não ter realizado um investimento direto, deixando a cargo dos capitães-donatários o sucesso das mesmas.
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  5. Nas primeiras décadas do século XVI os portugueses estavam explorando o seu novo domínio o Brasil Eles estavam fazendo expedições marítimas para levar o pau Brasil para Portugal.depois no ano de 1530 Martim Afonso de Sousa e outros colonizadores foram enviados para o Brasil com a missão de se fixar na colônia e fundar vilas , povoar e desenvolver a economia local. No ano de 1534 dando continuidade ou possesso d e colonização do Brasil o rei de Portugal rei dom João III Dividiu a colônia em 15 faixas de terra essas terras eram capitanias hereditárias e passou as responsabilidade da colonização para os donatários ,os capitães donatários não podiam dar nem vender suas terras mas podiam pasarlas para seus descendente . Mas essa ideia acabou nãodando certo a falta de apoio do governo, a inexperiência de alguns donatários , a dificuldade de locomoção e comunicação , entre outros.

    Mariana Malheiros Liberato
    7ºano Vinicius de morais

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Mariana!
      Com isso, surge o Governo Geral na colônia. Uma forma de administrá-la de maneira mais segura e eficaz para Portugal.
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  6. >Portugal foi atraído pelo comércio oriental.

    >O capitão donatário tinha a obrigação de fundar vilas, doar sesmarias (lotes de terra não cultivados), exercer funções judiciárias e militares, cobrar tributos e realizar a escravização de um número fixo de indígenas.

    >Portugal sofria ameaça de invasão dos corsários estrangeiros,as principais ameaças eram vindas dos franceses.

    >"O rei dom João III dividiu a nova colônia em quinze faixas de terra."

    >"Cada lotes de terra integraria o sistema de capitanias hereditárias, que transferiu a responsabilidade de ocupar e colonizar o território colonial para terceiros."

    >O capitão donatário não podia realizar a venda das terras oferecidas.

    João Guilherme de Carvalho - 7 ano Vinicius de Moraes.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente trabalho, João Guilherme!
      Parabéns!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  7. 1- Apartir do século XVI portugual foi atraido pelo comércio oriental e com isso eles realisavam poucas expediçoes e levavam as toras de Pau Brasil trazidas pelos indios.
    2- E com a invasão principalmente dos Franceses a Coroa Portuguesa teve que rever a sua ocupação da côlonia a primeira ação foi em 1530 quando a expedição de Martinho Afonso foi enviados com os primeiros colonos.
    3-Em 1534 o rei Pedro 3 dividiu em 15 faixas de terra e chamou de capitanias ereditarias e os donos eram chamados de capitaes donatalios e eles recebiam duas coisas a carta de doação e o floral.
    4-Das 15 faixas de terra somente duas restaram a de Pernanbuco e São Vicente.
    5-O governo portugues decidiu realizar a centralização e a administraçaõ da colonia.
    6-E ao contrario do que ase possa imaginar as capitanias ereditarias nao foram descartadas.
    Aluno Antonio Vinicius Pavan

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Antonio! Parabéns!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  8. Marilha gosto muito de você vou colocar meu texto para meu 1 ponto na glogal
    aqui vai:
    As capitanias hereditárias foram lotes de terra doada pelo rei
    O rei dividiu para ter mais renda e também,ele já tinha feito isso em outras terras portuguesas.
    As únicas faixas de terras que conseguiram sobreviver foram a de São Vincente e a de Pernambuco

    Samuel Almeida Franzina

    ResponderExcluir
  9. Nas primeiras do século XVI, Portugal, ainda atraído pelo comercio oriental , restringiu ao extrativismo suas ações de exploração do território colonial brasileiro.
    O ouvidor mor era o funcionário responsável pela resolução de todos os problemas da natureza judiciária e o cumprimento das leis vigentes.
    O sistema das capitanias hereditárias não foi prontamente descartado com a organização do governo geral.
    No ano de 1759 , a capitania de São Vicente foi a última a ser destruída pela ação oficial do governo português.
    O Capitão-mor desenvolvia ações militares de defesa.
    O sistema das capitanias hereditárias não foi prontamente descartado com a organização do governo geral.
    Matheus Chizzolini 7 VM Colégio Ser Sorocaba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Matheus!
      Parabéns!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  10. -o capitão donatário possuía pedaços de terra;
    -o capitão poderia dar esse pedaço de terra para seu descendente (filho) e não podia negociado com ninguém em hipótese alguma;
    -poucas capitanias prosperaram apenas as de Pernambuco e São Vicente;
    -só em 1759 o ministro Marques de Pombal acabou com as capitanias hereditárias;
    -o ouvidor-mor era o responsável por resolver todos os problemas judiciários;
    -o chamado provedor-mor era responsável por estabelecer seu trabalho na arrecadação de impostos e controle dos gastos.

    Marcelo Brito - 7ano VM - Colégio Ser - Sorocaba

    ResponderExcluir
  11. 1- Muitas terras
    2- Muitas terras e poucos recursos eram dados ao donos das terras
    3- fracasso em 13 capitanias hereditárias
    4- criação do governo geral,e suas respectivas funções.
    5- O capitão mor era deveria viabilizar a criação de novos engenhos, a integração dos indígenas com nos centros e fiscalizar as ações piratas e outras funções
    6- As capitanias hereditárias fracassaram pela falta de recursos que a coroa portuguesa oferecia.

    Gustavo Fonseca - 7 ano LFV- colegio Ser -Sorocaba

    ResponderExcluir
  12. As capitanias hereditárias não deram certo.
    A falta de verbas dadas pelo governo, a inexperiência de alguns donatários, as dificuldades de comunicação e locomoção, e a hostilidade dos indígenas dificultaram bastante a execução deste projeto, foram os motivos que fizeram com que as capitanias hereditárias não dessem cetro.
    Apesar de não ter dado certo o sistema de capitanias hereditárias, duas dessas capitanias sobreviveram, São Vicente e Pernambuco.
    São Vicente e Pernambuco prosperam por dois casos se encontra nos lucros obtidos com a instalação da indústria açucareira nestas regiões.
    Com o fracasso das capitanias hereditárias, a Coroa Portuguesa implantou o sistema do Governo-Geral.

    ResponderExcluir
  13. No século XVI, Portugal, estava atraído pelo comércio oriental, por isso restringiu ao extrativismo para a exploração do território colonial brasileiro.No ano de 1534,o rei dom João III dividiu a colônia em quinze faixas,onde só duas conseguiram prosseguir com os planos de Portugal,que foram Pernambuco e São Vicente.Quando perceberam que não iria dar mais certo.Por isso Portugal fez com que o governador-geral cuidasse da administração da colonia.
    O governador-geral tinha a função de criação de novos engenhos,a integração dos indígenas com os centros de colonização, o combate do comércio ilegal,etc...
    O governador geral criou cargos para ajudarem ele.Os cargos eram:ouvido-mor,capitão-mor e provedor-mor,cada um com sua função.
    As capitanias hereditárias não foram esquecidas por Portugal,pois a última capitania hereditária só acabou em 1759.

    Gabriel N.M.Fonseca 7 lfv Colégio Ser Sorocaba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Gabriel!
      Perceba que essa integração dos indígenas aos centros de colonização não foi muito amistosa, nem tão pouco justa; uma vez que os índios foram, em sua maioria, escravizados. Mas não havia mão-de-obra suficiente para tocar o empreendimento português.
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  14. ola Marília aqui o meu resumo
    As capitanias hereditárias foram lotes de terra doada pelo rei
    O rei dividiu para ter mais renda e também o capitão poderia dar esse pedaço de terra para seu descendente filho e não podia negociado com ninguém em hipótese alguma uma coisa quem não podia ser feita .,quando acharem ouro eles deverão dereter fazer uma barra carimbado com a coroa se não fazer ISO é significado tráfico ouvidor-mor era o responsável por resolver todos os problemas judiciários;
    -o chamado provedor-mor era responsável por estabelecer seu trabalho na arrecadação de impostos e controle dos gastos.

    Eurico Luiz Silva - 7ano Lfv - colégio ser sorocaba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Veja bem, Eurico, vamos comentar alguns pontos do seu comentário:
      - no período das Capitanias Hereditárias, o objetivo dos capitães-donatários era tornar as faixas de terras produtivas. No entanto, não havia recurso algum uma vez que a Coroa de Portugal não oferecera investimentos para a ocupação;
      - nesse período não era de conhecimento dos donatários a existência de ouro. É possível que houvesse ilusão da existência de ouro, influenciados pela quantidade de ouro encontrada pelos espanhóis.
      Bom trabalho!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  15. -Luís Henrique-

    Apontamentos:

    1- Toras de pau-brasil eram trazidas pelos índios ao litoral e organizavam algumas expedições de proteção e reconhecimento do litoral brasileiro.

    2- Em 1534 o rei dom João III dividiu a nova colônia em quinze faixas de terra.

    3- O capitão donatário não poderia vender das terras oferecidas, mas tinha o direito de repassá-las aos seus descendentes.

    4- Muitos donatários abriram mão de seus privilégios e outros nem mesmo reuniram recursos para atravessar o Atlântico e formalizar a posse, já que as capitanias hereditárias tinham falhado.

    5- As capitanias de São Vicente e Pernambuco foram as únicas que conseguiram se sustentar e superar as dificuldades da época, já que cultivavam, e exportavam a Cana-de-Açúcar, pois suas terras eram férteis. Um exemplo de monocultura.

    6- No ano de 1759, a capitania de São Vicente foi a última a ser destituída pela ação oficial do governo português.

    Obrigado Marília, essa atividade vai ajudar quem ficou de A.P.E. e também é uma maneira de lembrar e ampliar os conhecimentos sobre as capitanias hereditárias.

    ResponderExcluir
  16. ola marilha.
    eu achei muito interesante que Portugal restringiu ao extrativismo suas ações do territorio colonial brasileiro.
    As ações ameaçavam a invasão dos corsários estrangeiros principalmente os franceses obrigou Coroa Portuguesa a rever a politica da ocupação colonial.No ano de 1534,dando quantinuidade
    ao projeto de tomada de posse,o rei Dom João3 dividiu a nova colonia em quinze faixas de terra.Aquele que recebia o titulo de capitão donátario não poderia realizar a venda das terras recebidas,mas tinha o direito de repassá-las para seus descendentes.ja o foral determinava o conjunto específico de direitos e obrigações que o capitão donátario teria em suas mãos.

    Thiago A.R. da Veiga colegio ser 7 ano L.F.V.

    ResponderExcluir
  17. A Coroa portuguesa não tinha muito interesse na colonização do Brasil pois ainda estavam "satisfeitos" com o comercio nas índias, mas após o começo das invasões no Brasil eles começaram a lutar pelas terras do Brasil e então em 1534 começou a surgir as capitanias hereditárias que dividiam as terras pertencentes a Portugal após o tratado de Tordesilhas as terras foram dividas em 15 partes e cada uma pertencente a um capitão donatário mas a coroa portuguesa não investia nas capitanias hereditárias levando muitas todas as capitanias menos duas ao fracasso as únicas capitanias hereditárias que sobraram foi são vicente e pernambuco
    pernambuco prosperou pois tinha uma coisa que nenhum dos outros tinha que era a cana de açúcar e também pois os capitães donatários de são vicente e pernambuco organizaram as capitanias bem e também pelo fato do sistema plantation que foi a monocultura

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ravacci, o modelo de ocupação implantado pelos donatários de Pernambuco e São Vicente originaram o sistema plantation que você cita, que trata-se de:
      - grandes extensões de terra (produção em larga escala);
      - produção destinada ao mercado externo (exportação);
      - mão-de-obra escrava (africano).
      Bom trabalho!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  18. Marília bom dia,
    aqui está os apontamentos:
    -o rei dom João III dividiu o "Brasil" em quinze faixas de terra.
    -o capitão donatário não poderia vender as terras recebidas, mas podia repassá-las aos seus descendentes.
    -o Foral determinava os direitos e obrigações que o capitão donatário teria.
    -o sistema de capitanias hereditárias não prosperou pela falta de apoio econômico do governo.
    -As capitanias de São Vicente e Pernambuco foram as únicas que conseguiram prosperar.
    -Somente em 1759, as capitanias hereditárias desapareceram com a ação do ministro Marquês de Pombal.

    Rafael Cortez Sgroi Pupo 7º LFV Colégio Ser sorocaba

    ResponderExcluir
  19. Ola Marilia, td bem?

    Apontamentos:
    - A Coroa Portuguesa não teria homens nem capital suficiente para patrocinar a colonização do Brasil.

    - Portugal decidiu instituir o sistema de capitania hereditária, a partir de 1534.

    - As capitanias hereditárias não alcançou os resultados que esperavam.

    - No ano de 1534, com a continuação ao projeto de tomada de posse, o rei dom João III dividiu em quinze, as mais nova colônia e foi dividido em faixas de terra.

    - O Capitão donatário não podia realizar a venda das terras oferecidas.

    - O Foral determinava o conjunto específico de direitos e obrigações que o capitão donatário teria em suas mãos.

    - A Coroa Portuguesas instituiu O Governo Geral, com a intenção de assegurar suas posses.

    - No ano de 1621, um novo tipo de divisão foi organizado com a criação do Estado do Brasil e do Estado do Maranhão.

    -Sistema de plantation: a grande propriedade de terra,a utilização da mão escrava e o cultivo de um único produto destinado ao mercado europeu.

    Beijos Marília, espero que goste!
    Hellen Souza - 7º Ano L.F.V - Colégio Ser - Sorocaba.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente trabalho, Hellen!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  20. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. http://www.suapesquisa.com/historiadobrasil/capitanias-hereditarias.htm

      ops é copia :/ maah lacerda

      Excluir
    2. Mayara, infelizmente tenho que concordar com o comentário acima. Seu post trata-se de um plágio e, sendo assim, não posso considerá-lo.
      Peço que faça novamente e se caso fizer alguma citação, dê a autoria/referência.
      Fico no aguardo de seu novo comentário.
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  21. Ola Marília!
    Sei que as Capitanias Hereditárias fracassaram ,pois Portugal estava bem mais interessada no Comercio da Índia .Somente Duas Capitania prosperaram que foi São Vicente(terra dividida em DUAS partes)e Pernambuco.
    -Resumindo:
    -As Capitanias Hereditárias eram faixas de terras dividas 15 cada parte era pertencente a um donatário.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Luana, apenas complementando, as Capitanias fracassaram pois não houve investimentos diretos por parte da Coroa portuguesa, exatamente porque o foco eram as especiarias. A prosperidade esperada por Portugal seria unicamente pelo trabalho dos donatários que instalaram-se nas faixas de terra sem nenhuma infraestrutura. Sem uma administração direta por parte da metrópole, o fracasso foi inevitável.
      Bom trabalho!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  22. Gabriella Veiga 7°V.M30 de novembro de 2012 08:56

    Boa Tarde Marília!
    Portugal não se interessava muito pela colonização do Brasil,o comercio da Índia ainda estava os agradando.
    Em 1534,Portugal decidiu instituir o sistema de capitania hereditária dom João III dividiu as colonias em quinze faixas,onde apenas duas conseguiram prosseguir com os planos de Portugal.
    Donatário não podia realizar a venda das terras oferecidas.
    Em 1621 foi feito um outro tipo de divisão ,com a criação do estado do Brasil e do Maranhão.
    O processo usado foi Sistema de plantation a grande propriedade de terra,a utilização da mão escrava e o cultivo de um único produto destinado ao mercado europeu.


    ResponderExcluir
  23. Olá professora Marilia
    Adorei o texto "AS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS E O GOVERNO GERAL NO BRASIL"
    Decidi realizar os 6 apontamentos:
    -"O rei entregava uma capitania a algum membro da corte de sua confiança que, a partir de então, se transforma em capitão donatário".
    -"Aquele que recebia o titulo de capitão donatário não poderia realizar a venda das terras oferecidas".
    -"O Floral determinava o conjunto de direitos e obrigações que o capitão donatário teria em suas mãos".
    -"Apesar de tantas especifidades e regras de funcionamento, o sistema de capitanias hereditárias acabou não alcançando os resultados esperados".
    -"As capitanias de São Vicente e Pernambuco foram os únicos prosperar e superar as dificuldades da época".
    -"Respondendo ao fracasso das sistemas das capitanias hereditárias, o governo Português realizou a centralização da administração colonial com a criação do governo-geral, em 1548".

    Nicolas Meira Galvão 7° ano Vinicius de Moraes

    (Espero que goste).

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom trabalho, Nicolas. Parabéns pelo esforço!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  24. Naquela época o comecio era realizado no Brasil,e quem trabalhava para os Portugueses eram os Indios que traziam a cana de açucar para o litoral para ser transportado para a Europa.
    Como A coroa Portuguesa esta em ivasão de paises estrangeiros,Portugual reveu a medida de ocupação da colonia e o primeiro foi Martinho Afonso e as Capitanias Hereditarias não deram certo.
    Todas as Capitanias Herditarias Não dera, certo,mais pelo menos duas prosperarão,AS capitanias de Pernambuco e a capitania de São Vicente
    Leonardo Nishida Takenawa,7 ano LFV,Colegio ser

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Nishida!! Parabéns pelo seu esforço!!
      Prof Marilia Coltri.

      Excluir
  25. Ola Marilia tudo bom ?

    Apontamentos:

    -Nas primeiras décadas do século XVI, Portugal, ainda atraído pelo comércio oriental, restringiu ao extrativismo suas ações de exploração do território colonial brasileiro.

    -Essas ações, a ameaça de invasão dos corsários estrangeiros, principalmente franceses, obrigou a Coroa Portuguesa a rever sua política de ocupação na colônia.

    -A primeira medida tomada nesse sentido aconteceu em 1530, quando a expedição de Martim Afonso de Sousa foi enviada com os primeiros colonos a se fixarem definitivamente no espaço colonial.

    -No ano de 1534, dando continuidade ao projeto de tomada de posse, o rei dom João III dividiu a nova colônia em quinze faixas de terra.

    -Aquele que recebia o título de capitão donatário não poderia realizar a venda das terras oferecidas, mas tinha o direito de repassá-las aos seus descendentes.

    -No momento da posse, o capitão donatário recebia duas importantes documentações da Coroa: a Carta de Doação e o Foral.

    -o Foral determinava o conjunto específico de direitos e obrigações que o capitão donatário teria em suas mãos.

    -Ele poderia fundar vilas, doar sesmarias lotes de terra não cultivados , exercer funções judiciárias e militares, cobrar tributos e realizar a escravização de um número fixo de indígenas.

    Marilia espero que goste um beijo!!!!!

    Thayna Gabriella dos Reis :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Excelente trabalho, Thayna! Parabéns pelo esforço!!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  26. olá Marilia!!
    adorei o texto
    e vi que a colonização do Brasil era mais interesse da Espanha do que Portugal que estavam mais interessados nos comércios da Índia e quando criaram as capitanias hereditárias apenas duas se mantiveram :Pernambuco e são Vicente e criaram o plantation

    Leonardo Godoi
    7° ano LFV

    ResponderExcluir
  27. as capitanias eram terras divididas em 15 partes e só das prosperaram pois portugal estava interessado só no comércio das índias então as duas terras que prosperaram foi Pernambuco e São Vincente e cada terra devia ser doada a um donátario só que não foi pq só duas delas prosperaram. :)
    Heloisa Thomazette.B de camargo 7°lfv Colégio Ser Sorocaba

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agora sim, Heloísa.
      Bom trabalho!!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  28. Olá Marília, gostei do texto.Aqui vão os 6 apontamentos:

    -As capitanias hereditárias foram colonias onde quem administrava eram os donatários.
    -Os donatários tinham a função de povoar, fundar vilas e desenvolver a economia local.
    -No ano de 1534, dando continuidade às capitanias hereditárias,o rei dom João III dividiu as capitanias em 15 faixas de terra.
    -As únicas capitanias que prosperaram foram:Pernambuco e São Vicente.
    -Como a Coroa Portuguesa não queria investir nas capitanias, as capitanias hereditárias fracassaram.
    -Com o fracasso das capitanias , a coroa portuguesa fundo o Governo Geral.

    Lívia Moraes Coelho-7° ano L.F.V-Colégio Ser

    ResponderExcluir
  29. Muito bom trabalho, Lívia!
    Parabéns!!
    Profª Marilia Coltri.

    ResponderExcluir
  30. * Primeiramente , Portugual foi atraido pelo comércio oriental.
    *Portugual recebia ameaças de invações vinda de franceses .
    * O rei D.João ||| dividiu as terras em 15 lotes.
    *O capitão , não podia vender suas terras, apenas passa-las para algum descentente.
    * Dos 15 lotes de terra, 13 fracassaram.
    * Os unicos que sobraram, foram o São vicente e Pernambuco.
    *As capitanias hereditárias fracassaram pela falta de recursos que a coroa portuguesa oferecia.

    Mayara Lacerda (: 7LFV.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom trabalho, Mayara. Valeu pelo seu esforço.
      Ficou bom!!
      Profª Marilia Coltri.

      Excluir
  31. Encerra-se aqui a Atividade de APE Trimestral de História - III Trimestre para os alunos dos 7ºs anos do Colégio Ser! Sorocaba. parabenizo à todos os alunos pelas excelentes colocações.
    Bom trabalho, turma!
    Profª Marilia Coltri.

    ResponderExcluir
  32. marilia fiz um trabalho e vou te entregar na aula de quarta gabriele

    ResponderExcluir
  33. Ola Marília, adorei o seu texto. Aqui ha alguns apontamentos:
    # Por obrigação, Martim Afonso e os demais colonizadores deveriam fundar vilas, povoar e desenvolver a economia local.

    # No ano de 1534, o rei dom João III dividiu a nova colônia em quinze faixas de terra. Cada um desses imensos lotes de terra seria o sistema de capitanias hereditárias, que transferiu a responsabilidade de ocupar e colonizar o território colonial para terceiros. Nesse sistema, o rei entregava uma capitania a algum membro da corte de sua confiança que, a partir de então, se transformava em capitão donatário.
    Aquele que recebia o título de capitão donatário não poderia realizar a venda das terras oferecidas.

    # A carta de Doação ficava estabelecido que o governo de Portugal cedia o uso de uma determinada capitania a um donatário e que este não poderia negociá-la sob nenhuma hipótese.

    # Já o Foral determinava o conjunto específico de direitos e obrigações que o capitão donatário teria em suas mãos. Ele poderia fundar vilas, doar lotes de terra não cultivados, exercer funções judiciárias e militares, cobrar tributos e realizar a escravização de um número fixo de indígenas. Com relação às atividades econômicas, ele poderia ter uma parte dos lucros.

    # o sistema de capitanias hereditárias acabou não alcançando os resultados esperados.

    # As capitanias de São Vicente e Pernambuco foram as únicas que conseguiram prosperar e superar as dificuldades da época.

    # Respondendo ao fracasso do sistema das capitanias hereditárias, o governo português realizou a centralização da administração colonial com a criação do governo-geral, em 1548

    # O ouvidor-mor era o funcionário responsável pela resolução de todos os problemas de natureza judiciária e o cumprimento das leis vigentes.

    # O chamado provedor-mor estabelecia os seus trabalhos na organização dos gastos administrativos e na arrecadação dos impostos cobrados.

    # o capitão-mor desenvolvia ações militares de defesa que estavam, principalmente, ligadas ao combate dos invasores estrangeiros e ao ataque dos nativos.

    # Entre os anos de 1572 e 1578, o rei D. Sebastião buscou aprimorar o sistema de Governo Geral realizando a divisão do mesmo em duas partes. Um ao norte, com capital na cidade de Salvador, e outro ao sul.

    # Ao contrário do que se possa imaginar, o sistema de capitanias hereditárias não foi prontamente descartado com a organização do governo-geral.

    Matheus Gotha 7 ano ML Colegio Ser.

    ResponderExcluir
  34. Ola Marília, adorei o seu texto. Aqui ha alguns apontamentos:
    # Por obrigação, Martim Afonso e os demais colonizadores deveriam fundar vilas, povoar e desenvolver a economia local.

    # No ano de 1534, o rei dom João III dividiu a nova colônia em quinze faixas de terra. Cada um desses imensos lotes de terra seria o sistema de capitanias hereditárias, que transferiu a responsabilidade de ocupar e colonizar o território colonial para terceiros. Nesse sistema, o rei entregava uma capitania a algum membro da corte de sua confiança que, a partir de então, se transformava em capitão donatário.
    Aquele que recebia o título de capitão donatário não poderia realizar a venda das terras oferecidas.

    # A carta de Doação ficava estabelecido que o governo de Portugal cedia o uso de uma determinada capitania a um donatário e que este não poderia negociá-la sob nenhuma hipótese.

    # Já o Foral determinava o conjunto específico de direitos e obrigações que o capitão donatário teria em suas mãos. Ele poderia fundar vilas, doar lotes de terra não cultivados, exercer funções judiciárias e militares, cobrar tributos e realizar a escravização de um número fixo de indígenas. Com relação às atividades econômicas, ele poderia ter uma parte dos lucros.

    # o sistema de capitanias hereditárias acabou não alcançando os resultados esperados.

    # As capitanias de São Vicente e Pernambuco foram as únicas que conseguiram prosperar e superar as dificuldades da época.

    # Respondendo ao fracasso do sistema das capitanias hereditárias, o governo português realizou a centralização da administração colonial com a criação do governo-geral, em 1548

    # O ouvidor-mor era o funcionário responsável pela resolução de todos os problemas de natureza judiciária e o cumprimento das leis vigentes.

    # O chamado provedor-mor estabelecia os seus trabalhos na organização dos gastos administrativos e na arrecadação dos impostos cobrados.

    # o capitão-mor desenvolvia ações militares de defesa que estavam, principalmente, ligadas ao combate dos invasores estrangeiros e ao ataque dos nativos.

    # Entre os anos de 1572 e 1578, o rei D. Sebastião buscou aprimorar o sistema de Governo Geral realizando a divisão do mesmo em duas partes. Um ao norte, com capital na cidade de Salvador, e outro ao sul.

    # Ao contrário do que se possa imaginar, o sistema de capitanias hereditárias não foi prontamente descartado com a organização do governo-geral.
    gabriel ap. israel tudela 7 ano ml colegio ser

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. meu primo colou matheus, foi mal
      eu conto amanhã
      gabariel tudela 7 ano colégio ser

      Excluir
  35. Copiou e colou o meu Pô...cara de pau Tudela, Prof.Marília ve q eu fiz primeiro...
    Matheus Gotha 7 ano.

    ResponderExcluir
  36. marilia meu primo copio e colou a resposta do matheus,mas eu prometo que eu vou fazer um trabalho das CAPITANIAS HEREDITÁRIAS E O GOVERNO GERAL NO BRASIL vou fazer em islaid
    GABRIEL AP. ISRAEL TUDELA. 7ºANO MONTEIRO LOBATO COLÉGIO SER - SOROCABA.

    ResponderExcluir