"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém" Carta do Apóstolo Paulo aos Coríntios

"Tudo me é lícito, mas nem tudo me convém [...]". (Carta do Apóstolo Paulo aos cristãos. Coríntios 6:12) Tudo posso, tudo quero, mas eu devo? Quero, mas não posso. Até posso, se burlar a regra; mas eu devo? Segundo o filósofo Mário Sérgio Cortella, ética é o conjunto de valores e princípios que [todos] usamos para definir as três grandes questões da vida, que são: QUERO, DEVO, POSSO. Tem coisas que eu quero, mas não posso. Tem coisas que eu posso, mas não devo. Tem coisas que eu devo, mas não quero. Cortella complementa "Quando temos paz de espírito? Temos paz de espítito quando aquilo que queremos é o que podemos e é o que devemos." (Cortella, 2009). Imagem Toscana, Itália.















quinta-feira, 2 de maio de 2013

PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL

Colégio Ser! - Sorocaba
Atividade do A.P.E. Trimestral - HISTÓRIA - 9º ano Jorge Amado
Prof.ª Marilia C. C. Coltri


WWI

 
 O CENÁRIO NA EUROPA ANTES DA GUERRA.
 
Podemos considerar que as principais causas da Primeira Guerra “Mundial” de 1914 a 1918 são de ordem econômica. Os impérios Europeus acirravam os ânimos entre si devido a busca de regiões ricas em matérias primas para suas indústrias e de mercados consumidores para os seus produtos industrializados. O choque de interesses entre as potências imperialistas se agravaram com a entrada da Alemanha (unificada em 1871) e da Itália na corrida imperialista. Alemães e italianos estavam insatisfeitos com a repartição do mundo colonial queriam uma redivisão dos territórios, embora o problema da perda terreno na disputa por colônias tenha sido causado pela unificação tardia destes dois paises.
Indiscutivelmente a Primeira Guerra do século XX foi motivada por fator de ordem econômica, no entanto, não foi o único. As raízes do conflito encontram-se nas rivalidades históricas reavivadas por disputas no século XIX, na Europa verificava-se uma situação de conflito de interesses que colocava frente a frente uma série de países.

Vejamos alguns desses atritos:

- Inglaterra X Alemanha: As duas maiores potências industriais da Europa disputavam os mercados mundiais com extrema tenacidade. A Inglaterra tinha a vantagem de possuir mais colônias na África e na Ásia;

- França X Alemanha: Ao unificar-se a Alemanha, anexou as províncias francesas de Alsácia e Lorena, ricas em ferro e carvão – base para a indústria. Isso estimulou um sentimento revanchista e anti-germânico nos franceses.

- França X Itália: Esses dois países disputavam a posse da Tunísia, na África.

- Rússia X Império Áustro-Húngaro: A Rússia era o maior dos países eslavos, e além de posicionar-se a favor da Sérvia na questão dos Bálcãs, ambicionava formar uma grande nação eslava sob seu comando.

- Assassinato do Arquiduque austríaco Francisco Ferdinando, por um terrorista sérvio, membro do grupo nacionalista Mão Negra.



A PREPARAÇÃO PARA A GUERRA

Anteriormente abordamos alguns dos motivos gerais (de ordem econômica e as rivalidades históricas) que contribuiram para a Primeira Grande Guerra do século XX, agora verificaremos os muitos atritos que envolviam as potências européias.
A insegurança provocada pelo clima hostil entre as potências, provocou uma verdadeira corrida armamentista preventiva, que ficou conhecida com a hipócrita denominação de Paz Armada. Isso quer dizer que os países procuravam incrementar seu poderio bélico (armamentista), imaginando escapar das investidas de nações inimigas. O antagonismo (interesses opostos) entre as nações provocou a formação de blocos de países preparados para um possível enfrentamento armado. Os blocos militares ou alianças militares, formados a partir de então foram os seguintes:

A) TRÍPLICE ALIANÇA: A Alemanha e o Império Austro-Húngaro assinaram, em 1879, um acordo de ajuda militar mútua. Posteriormente a Itália, em represália pela invasão francesa à Tunísia, aderiu à Tríplice Aliança em 1882. Entretanto, posição italiana nessa aliança foi dúbia desde o princípio. De forma que, secretamente os italianos assinaram um acordo com o bloco rival em caso de guerra, recebendo como recompensa colônias na África.

B) TRÍPLICE ENTENTE: Inicialmente existia um acordo entre França e Inglaterra (Entente Cordiale), no qual a primeira reconhecia as pretensões colonialistas da segunda e esta se comprometia a ajudar a França, no caso de uma agressão alemã. Em 1907 a Rússia adere ao bloco. Formava-se assim a Tríplice Entente.

Importante ressaltar que para os dois blocos militares organizados prevaleceu a máxima: "o inimigo do meu inimigo é meu amigo", ou seja, os paises buscaram aliar-se com nações que possuíssem atritos com seus rivais.

Outro importante atrito, a chamada Questão Balcânica, gerou o evento que desencadeou a Primeira Guerra, e merece um detalhamento maior. Desde a decadência do Império Turco Otomano, a região dos Bálcãs (tome como referência de local as imediações da Grécia) estava em crise. Resumindo, o quadro de crise política na região assim se apresentava:


- A Sérvia apoiava os movimentos nacionalistas eslavos na luta contra as pretensões da Áustria em anexar a região.


- A Áustria contrariava o plano de formação de um grande país eslavo sob a liderança da Sérvia; - O Império Russo pretendia ampliar sua influência na região e obter uma saída para o Mar Mediterrâneo.

- A Turquia, como ex-potência da região, se aproximou da Alemanha e da Áustria para impedir o avanço russo.



Assim, percebe-se que a região balcânica era um verdadeiro barril de pólvora no começo do século XX. Como dizia na época: o inicio da guerra estava por uma centelha. Só faltava um pretexto para se atear fogo ao estopim nesse barril de pólvora. A fagulha ocorreu com o assassinato do herdeiro do trono austríaco, o Arquiduque Francisco Ferdinando.


Acaso do destino ou imprudência? Fico com a segunda opção. Resolveu o arquiduque visitar, no dia 28 de junho de 1914, Sarajevo, a capital da Bósnia. Esta atitude insensata do arquiduque Francisco Ferdinando é comparável a hipotética visita do presidente Obama ao Iraque nos dias atuais desfilando em carro aberto. Imaginaram qual seria o resultado?
 
O assassino de Francisco Ferdinando era ligados ao movimento nacionalista sérvio, e, por isso, Áustria declarou guerra à Sérvia no dia 28 de julho do mesmo ano. A Rússia manifestou solidariedade à Sérvia, e a Alemanha declarou guerra à Rússia, no dia 1º de agosto de 1914. É a aplicação da máxima: "o inimigo do meu inimigo é meu amigo", lembram!!! Este horizonte de eventos desencadeou o conflito entre os países membros das duas alianças militares, arrastando o mundo para uma das mais sangrentas guerras do século XX.

Os primeiros movimentos da Guerra.

Em 3 de agosto, a Alemanha declarou guerra à França, e no dia seguinte, invadiu a Bélgica. Na frente oeste, nos primeiros meses da guerra, a iniciativa coube aos alemães, que tomaram grandes extensões dos territórios belga e francês.
Na frente leste, o exército russo parecia vitorioso, conquistando parte da Prússia Oriental (atual território da Polônia, na época pertencente a Alemanha).

As Fases da Guerra.

Podemos caracterizar a fase inicial da guerra pela ocorrência de um frenético avanço de tropas conquistando territórios e pelo elevado número de mortos. Estas caracteristicas fazem parte da primeira fase da guerra denominada de Guerra de Movimento. Contudo, o expressivo número de mortos nesta fase foi a motivo para a adoção de uma estratégia mais defensiva que procurava não expor os exércitos em campo aberto visando preserva-los das modernas armas de guerra e assim inicia-se uma nova fase.
 
A segunda fase seria a Guerra de Trincheiras ou Guerra de Posições. Sem condições de manter o ritmo inicial, os exércitos alemães recuaram na frente oeste e retomaram os territórios na frente leste. Depois disso, tanto as forças da Entente como as da Tríplice Aliança mantiveram as posições e sem condições de romper as linhas das forças inimigas. Esta situação perdurou até praticamente o fim da guerra.

Em maio de 1915, a Itália declarou guerra à Alemanha e à Áustria, teoricamente seus aliados. Esta atitude da Itália foi oportunista, esperava lutando ao lado da França e da Inglaterra, obter territórios nas províncias rebeldes e na África.
O esforço de guerra começou a ser sentido pelas populações dos países em guerra. A falta de alimentos, de matérias-primas e as condições de trabalho provocaram greves, motins e levantes operários, principalmente na Alemanha.
Na frente de batalha, o quadro se modificou profundamente depois de abril de 1917. Submarinos alemães afundaram navios norte-americanos, provocando a entrada dos Estados Unidos na guerra.

Os Estados Unidos já forneciam armas, munições e alimentos aos aliados. Agora, o peso econômico-industrial “ianque” faria mudar o rumo do conflito, pois os alemães não tinham condições de materiais de continuar lutando por muito tempo. Entretanto, convém lembrar que a entrada dos EUA na guerra também se explica pelo fato de que se houvesse vitória da Alemanha, todo investimento estadunidense aplicado nos países da Entente durante os três primeiros anos da guerra estariam perdidos. A Revolução Russa corroborou para os Estados Unidos optarem em entrar no conflito. Em 1917 (outubro/novembro), a Rússia saiu da guerra, depois que os bolcheviques (Revolução Russa) tomaram o poder. Este acontecimento deu condições para que a Alemanha prolongasse sua permanência na guerra por mais de um ano. Em 1918, os aliados dos alemães abandonam a guerra deixando-os sozinhos. Na Alemanha, revoltas populares, levantes de soldados e marinheiros paralisavam a máquina de guerra. Exaustos no dia 9 de novembro de 1918, o imperador Guilherme II foi derrubado e substituído por um governo provisório (social-democrata), o qual assinou o armistício (suspensão do conflito) com os aliados. A guerra havia acabado. Em janeiro de 1919, começou a Conferência de Paz de Versalhes, que se encerraria em 28 de junho.

Os Termos da Rendição: Em janeiro, o presidente dos EUA, Wilson propôs os seus famosos “14 pontos” para uma paz mais justa. Contudo a intolerância e insistência da França e da Inglaterra em exigirem reparações, invalidaram a iniciativa do presidente dos EUA.

Numa conferência foi assinado o Tratado de Versalhes, que determinou o seguinte:

- Criação da Liga das Nações, para mediar diplomaticamente os conflitos internacionais. A Liga foi o embrião da ONU, porém, já surgiu com seus poderes pouco efetivos. Isso porque a Alemanha, responsabilizada pela guerra, a Rússia, abalada pela Revolução socialista e os EUA, discordantes do Tratado de Versalhes, ficaram de fora desse organismo;


- Estabelecimento de novas fronteiras. A Alemanha devolveu a Alsácia-Lorena para a França e cedeu territórios para a criação da Polônia como país independente. O território alemão ficou ainda dividido em duas porções pelo corredor polonês, para dar acesso ao mar à Polônia;


- A Alemanha perdia suas colônias e ficava obrigada a desmilitarizar e limitar o efetivo do seu exército a 100 mil homens e a desmantelar as fortificações fronteiriças;

- A Alemanha e seus aliados foram considerados responsáveis pela guerra e condenados a pagar pesadíssimas indenizações. As indenizações exigiram a entrega dos navios acima de mil toneladas e de diversos recursos naturais alemães à exploração dos países vencedores.

Evidentemente, essas imposições eram demasiado pesadas para que a Alemanha pudesse cumpri-las na sua integralidade. O presidente dos EUA, Woodron Wilson, insistentemente alertava aos líderes da Inglaterra e da França que uma rendição honrosa e viável para a Alemanha seria a garantia de uma paz duradoura, mas os teimosos líderes ingleses e franceses não acataram as recomendações de Wilson. Assim, os anos 20 foram tremendamente difíceis para a Alemanha, devido as imposições do Tratado de Versalhes, gerando um sentimento de frustração e revanche no povo alemão. Nos termos do Tratado de Versalhes encontramos entre outras as origens da 2ª Guerra Mundial.

Após as decisões do Tratado de Versalhes os EUA adotam uma política internacional isolacionista "dando as costas" aos países da Europa.

O Império Áustro-Húngaro também foi penalizado no Tratado de Saint-Germain, que lhe tirou a saída para o mar e reduziu drasticamente seu território.

O Esfacelamento do Império Otomano e a crise entre palestinos e o Estado de Israel.

Quando o Império Turco Otomano foi desmembrado, após a Primeira Grande Guerra, surgem novos países e diferentes povos. Um detalhe que normalmente passa desapercebido é que a desintegração do Império Otomano vai ser a semente das futuras desavenças entre palestinos e israelenses, bastante acentuadas após a Segunda Guerra Mundial. Síria, Monte Líbano, Palestina, Meca e Medina eram parte do Império Otomano, de população majoritariamente árabe e que professavam as seguinte religiões: o islamismo, o cristianismo e o judaismo. O controle destes territórios, então herdados do Império Otomano, coube à Inglaterra e a Françam que visavam resguardar seus interesses colonialistas e portanto ignoram sistematicamente as reivindicações árabes para formar países independentes. A Liga das Nações (um arremedo do que seria a ONU), em 1922, resolve dividir a região em mandatos (territórios) que seriam administrados por França e Inglaterra por períodos determinados.
Neste mesmo ano a Carta da Liga das Nações continha uma determinação que entre os objetivos do mandato inglês na Palestina estaria a criação de um território judeu e com a condição de não ferir os interesses da população não judaíca que habitava a região. Ao passo que os paises vizinhos conquistavam sua independência a Palestina mantinha-se sob o controle britânico. Paralelamente o movimento Sionista começa a organizar a migração em massa de judeus para a Palestina deslocando a força a população árabe existente a fim de estabelecer os assentamentos judaícos. Assim, iniciam os primeiros choques violentos entres árabes e judeus provenientes da Europa Oriental. Importante ressaltar que o conflito dos anos 20 não foram de natureza religiosa, mas política. A partir de 1936 eclodiram várias revoltas dos palestinos, duramente reprimidas pelos ingleses, contabilizaram aos milhares entre mortos e feridos e outros milhares de presos. O partido nacional palestino exigia já desde àquela época a formação de um governo palestino autônomo. Contudo sem conseguir manter a ordem na Palestina e incapaz de entregar um Estado aos judeus, sem ferir os direitos e causar revoltas dos palestinos, a Inglaterra entrega o mandato (território) a ONU. Esta era a constatação de que a política internacional inglesa havia fracassado.

As mudanças geopolíticas.

No novo mapa europeu criado, a partir desses tratados, surgem novos países como Hungria, Polônia, Iugoslávia, Tchecoslováquia, Finlândia. Fora da Europa, surgem regiões do espólio do Império Turco-Otomano que originaram os atuais países do Oriente Médio, tais como Jordânia, Síria, Líbano, Iraque.
No âmbito das relações econômicas e sociais, a I Guerra Mundial deu aos EUA a condição de maior potência econômica mundial. Os EUA entraram na guerra como devedores e saíram como credores. A Primeira Guerra Mundial trouxe também um nefasto saldo de algo em torno de 14 milhões de mortes. Pior do que isso, essa guerra, que antes de começar dizia-se que acabaria com todas as outras guerras, apenas acirrou ainda mais os ânimos dos países europeus, uma lamentável realidade que encaminharia a II Guerra Mundial, com danos ainda maiores.
Fontes:
 
Atividade do A.P.E. Trimestral:
 
Faça uma análise do conteúdo sobre a Primeira Guerra Mundial e redija um comentário de, no mínimo, 15 linhas, considerando as seguintes questões:
 
- Como estava a Europa às vésperas do conflito;
- O que foi o período de PAZ ARMADA (1871-1914)?
- A disputa pelos Bálcãs;
- O Sistema de Alianças;
- Os motivos que deflagraram a guerra;
- Fase final dos conflitos;
- Tratados de paz;
- Pós-guerra. 

NÃO ESQUEÇA A SUA IDENTIFICAÇÃO:
NOME COMPLETO, SÉRIE E TURMA, COLÉGIO SER! SOROCABA

O prazo para postagem da atividade vai até 15/05/13.
 
Bom Trabalho!!!
Prof.ª Marilia C. C. Coltri.

8 comentários:

  1. EUROPA ANTES DA PRIMEIRA GUERRA MUNDIAL :
    A Europa estava ‘vivendo’ a Segunda Revolução Industrial e uma política imperialista com o Neocolonialismo da África, Ásia e Oceania, para conseguir novos mercados fornecedores de matérias-prima e consumidoras de produtos industrializados.

    Paz ARMADA :
    A Paz Armada foi um conflito onde antecedeu a Primeira Guerra Mundial onde havia a corrida armamentista onde a Tríplice Aliança(Alemanha, Império Austro-Húngaro e Itália) estavam ali com uma preparação para uma possível guerra que aconteceria .

    GUERRA DOS BÁLÇÃS :
    A Guerra dos Bálcãs foi uma disputa entre Sérvia, Montenegro, Grécia, Romênia, Turquia e Bulgária pelo poder de territórios do Império Otomano.
    De uma lado o grupo balcânico formados por Grécia, Sérvia, Bulgária e Montenegro seu objetivo era a conquista territorial .
    A guerra findou-se por um instante no Tratado de Bucareste no qual Grécia e Sérvia dividiram a Macedônia, e a Romênia ganhou uma parte do território da Bulgária. A Guerra dos Bálcãs foi importante naquele contexto porque foi um dos elemento-chave para o desencadeamento da Primeira Guerra Mundial.

    SISTEMA DE ALIANÇAS :
    Tríplice Aliança –(Alemanha,Áustria-Hungria e Itália) a partir de 1882.Objetivo: enfrentar o expansionismo francês na Europa. Durante a guerra, o Império Otomano incorpora-se a ela por sua aliança com a Alemanha e por suas rivalidades com a Rússia. A Bulgária, que tem interesses nos Bálcãs, também se alia à Alemanha. A Itália, embora pertencente à Tríplice Aliança, declara-se neutra no início do conflito e depois, em 1915, passa para a outra tríplice que era a Entente seus inimigos.

    Tríplice Entente –Formada em 1904 pelo Reino unido e pela França para opor-se ao expansionismo germânico. Em 1907, com a adesão da Rússia, ela se transforma na Tríplice Entente, E a guerra, outras 24 nações incorporam-se à Entente, formando uma ampla coalizão chamada de Aliados.
    Os motivos que deflagraram a guerra :Os motivos eram : - A partilha das terras da África e Ásia, na segunda metade do século XIX, gerou muitos desentendimentos entre as nações européias. Enquanto Inglaterra e França ficaram com grandes territórios com muitos recursos para explorar, Alemanha e Itália tiveram que se contentar com poucos territórios de baixo valor. Este descontentamento ítalo-germânico permaneceu até o começo do século XX e foi um dos motivos da guerra, pois estas duas nações queriam mais territórios para explorar e aumentar seus recursos.
    - A concorrência econômica entre os países europeus acirrou a disputa por mercados consumidores e matérias-primas. Muitas vezes, ações economicamente desleais eram tomadas por determinados países ou empresas (com apoio do governo);
    E o estopim da guerra aconteceu depois do assassinato do arquiduque austríaco Francisco Ferdinando entre outros .....

    Fase final da guerra: Com o fim da primeira guerra mundial, a URSS já estava fora da guerra cuidando de seus problemas internos, -Alemanha teve que se render graças a um golpe político organizado pela burguesia (judeus, em sua maioria). Com a derrota, a Alemanha teve que arcar com todos os prejuízos dos outros países do bloco vencedor, devolver Alsásia e Lorena para a França, pagar para os mesmos uma quantia equivalente pela dominação de tal território, e ficou proibido de criar um exército.
    Com isso, a economia alemã foi em direção ao colapso, a moeda alemã servia melhor para se acender lareiras para diminuir o frio que para qualquer outra coisa. Os soldados que foram retirados da guerra, ainda queriam lutar pela pátria, mas foram obrigados a retornar para suas casas.
    Aluna : Helga Lopes / 9º Jorge Amado / CONTINUA NO PRÓXIMO POSTE

    ResponderExcluir
  2. PARTE 2
    PÓS –GUERRA : A Primeira Guerra Mundial foi o prenúncio da crise total que se abateu sobre a Europa, ao mesmo tempo que marcou a mudança do centro das decisões para o outro lado do Atlântico
    a Europa já não era a mesma. Havia perdido a influência no mundo. Mergulhava rapidamente em uma crise que duraria até as vésperas de outra guerra: A Segunda Guerra Mundial.
    A Alemanha teve quase 2 milhões de mortes; A França e a Inglaterra, juntas mais de 2 milhões. A Rússia, incluindo a fase da guerra civil, perdeu perto de 5 milhões de habitantes. Enfim, a quantidade de mortos fazia qualquer outro conflito anterior parecer uma pequena batalha perto da carnificina provocada pela Primeira Guerra Mundial.
    Os prejuízos materiais eram incalculáveis. O comércio estava praticamente a zero. Somente os países que ficaram distantes do palco da guerra, como os Estados Unidos e o Japão, conseguiram tirar proveito do comércio europeu.
    Aluna :Helga Lopes / 9°ano Jorge Amado /Colégio Ser Sorocaba.

    ResponderExcluir
  3. Antes da guerra
    Vários problemas atingiam as principais nações européias no início do sécséculo anterior havia deixado feridas difíceis de curar. Alguns países estavam extremamente descontentes com a partilha da Ásia e da África, ocorrida no final do século XIX. Alemanha e Itália, por exemplo, haviam ficado de fora no processo neocolonial. Enquanto isso, França e Inglaterra podiam explorar diversas colônias, ricas em matérias-primas e com um grande mercado consumidor.
    Vale lembrar também que no início do século XX havia uma forte concorrência comercial entre os países europeus, principalmente na disputa pelos mercados consumidores. Esta concorrência gerou vários conflitos de interesses entre as nações. Ao mesmo tempo, os países estavam empenhados numa rápida corrida armamentista, já como uma maneira de se protegerem, ou atacarem, no futuro próximo. Esta corrida bélica gerava um clima de apreensão e medo entre os países, onde um tentava se armar mais do que o outro.

    Existia também, entre duas nações poderosas da época, uma rivalidade muito grande. A França havia perdido, no final do século XIX, a região da Alsácia-Lorena para a Alemanha, durante a Guerra Franco Prussiana. O revanchismo francês estava no ar, e os franceses esperando uma oportunidade para retomar a rica região perdida.

    Paz armada
    Foi um período onde todos os paises da Europa se armaram até os dentes ,mas nenhum deles tinha coragem de começar a guerra


    O início da Grande Guerra
    O estopim deste conflito foi o assassinato de Francisco Ferdinando, príncipe do império austro-húngaro, durante sua visita a Saravejo (Bósnia-Herzegovina). As investigações levaram ao criminoso, um jovem integrante de um grupo Sérvio chamado mão-negra, contrário a influência da Áustria-Hungria na região dos Balcãs. O império austro-húngaro não aceitou as medidas tomadas pela Sérvia com relação ao crime e, no dia 28 de julho de 1914, declarou guerra à Servia.

    Política de Alianças
    Os países europeus começaram a fazer alianças políticas e militares desde o final do século XIX. Durante o conflito mundial estas alianças permaneceram. De um lado havia a Tríplice Aliança formada em 1882 por Itália, Império Austro-Húngaro e Alemanha ( a Itália passou para a outra aliança em 1915). Do outro lado a Tríplice Entente, formada em 1907, com a participação de França, Rússia e Reino Unido.

    O Brasil também participou, enviando para os campos de batalha enfermeiros e medicamentos para ajudar os países da Tríplice Entente.

    Desenvolvimento.
    As batalhas desenvolveram-se principalmente em trincheiras. Os soldados ficavam, muitas vezes, centenas de dias entrincheirados, lutando pela conquista de pequenos pedaços de território. A fome e as doenças também eram os inimigos destes guerreiros. Nos combates também houve a utilização de novas tecnologias bélicas como, por exemplo, tanques de guerra e aviões. Enquanto os homens lutavam nas trincheiras, as mulheres trabalhavam nas indústrias bélicas como empregadas.

    Fim do conflito
    Em 1917 ocorreu um fato histórico de extrema importância : a entrada dos Estados Unidos no conflito. Os EUA entraram ao lado da Tríplice Entente, pois havia acordos comerciais a defender, principalmente com Inglaterra e França. Este fato marcou a vitória da Entente, forçando os países da Aliança a assinarem a rendição. Os derrotados tiveram ainda que assinar o Tratado de Versalhes que impunha a estes países fortes restrições e punições. A Alemanha teve seu exército reduzido, sua indústria bélica controlada, perdeu a região do corredor polonês, teve que devolver à França a região da Alsácia Lorena, além de ter que pagar os prejuízos da guerra dos países vencedores. O Tratado de Versalhes teve repercussões na Alemanha, influenciando o início da Segunda Guerra Mundial.

    A guerra gerou aproximadamente 10 milhões de mortos, o triplo de feridos, arrasou campos agrícolas, destruiu indústrias, além de gerar grandes prejuízos econômicos. Ana Beatriz Camara Mendes, N1 ,Colegio Ser

    ResponderExcluir
  4. O principal causador da 1 Guerra Mundial é a ordem econômica.
    E tambem sobre o Atrito entre as duas maiores potências industriais da Europa, a Alemanha e a Inglaterra. Onde naquela época a Inglaterra tinha uma vantagem de ter mais colônias na Africa e na Asía coisa que a Alemanha não tinha.
    E tambem da França versos a Itália onde eles disputavam a posse da Tunísia na Africa.
    Triplíce Aliança : A Alemanha e o Império Austro Hungaro Passaram a se ajudar militarmente. Onde após 3 anos em 1882 a Itália resolveu entra na Triplíce Aliança, junto com a Alemanha e o Império Austro Hungaro.
    Triplíce Entente : Composta Por Alemanha e França, que 1907 aderiu a Russia a parte da Triplíce, que se comprometia a ajudar a França no caso de Agressão Alemã.
    Onde em 3 de agosto de 1914 a Alemanha declarou Guerra a Russia e no dia seguinte Invadiu a Belgíca. Passados Anos da Guerra ..
    FIM DO CONFLITO.
    Em 1917 o Estados Unidos entrou no Lado da Triplíce Entente pois tinha acordos com a França e Inglaterra, foi assim que a Tripliíce Entente venceu , e Fez Triplíce Aliança se Render.
    João Becatti | 9 Ano Jorge Amado|Colégio Ser.

    ResponderExcluir
  5. Como estava a Europa às vésperas do conflito : Alemães e italianos estavam insatisfeitos com a repartição do mundo colonial queriam uma redivisão dos territórios e havia choque de interesses entre as potências imperialistas.
    O que foi o período de PAZ ARMADA (1871-1914)? : A paz armada foi um período de paz no mundo, porém, com um investimento na indústria bélica, por trás.
    A disputa pelos Bálcãs : A disputa pelos Bálcãs foi reivindicava melhor tratamento aos cristãos na Macedônia turca, porém seu objetivo claro era a conquista territorial, de outro, estava a enfraquecida Turquia, que já estava em guerra com a Itália.
    O Sistema de Alianças : A Tríplice Aliança tinha como membros a Alemanha, a Áustria-Hungria e a Itália. Tinha o objetivo de enfrentar o expansionismo francês na Europa. A Itália, embora pertencente à Tríplice Aliança, declara-se neutra no início do conflito e depois, passa para o lado de seus inimigos, apoiando a Tríplice Entente.

    Tríplice Entente foi formada pelo Reino Unido e pela França para opor-se ao expansionismo germânico. Durante a guerra, outras nações incorporam-se à Entente.
    Os motivos que deflagraram a guerra : Partilhas das terras da África, e Asia. na segunda metade do século 19.
    Mais ou menos no final do século 19 e começo do século 20, as nações européias investiram fortemente em armamentos.
    Concorrência econômica entre as nações Européias, disputas por mercados e consumidores de matéria prima
    A questão do nacionalismo.
    A assassinato Francisco Fernando
    Fase final dos conflitos : Os Estados Unidos forneciam armas, munições e alimentos aos aliados. Com o peso econômico-industrial “ianque” faria mudar o rumo do conflito, pois os alemães não tinham condições de materiais de continuar lutando por muito tempo. Numero muito grande de mortos.
    Tratados de paz : Foi muito difícil realizar esse tratado de paz. A Alemanha Foi obrigada a assinar o tratado de Versalhes. Embora fosse humilhante e injusto, a Alemanha teve que cumprir com os termos impostos pelo tratado.
    Entre as resoluções de Versalhes estava à criação da liga das nações, uma iniciativa do presidente dos EUA, proposta para garantir a segurança e a paz mundial. Tratado de Versalhes previa os benefícios e punições a cada um dos lados envolvidos na guerra.
    Pós-guerra : Depois da Primeira Guerra, a Europa já não era a mesma. Havia perdido a influência no mundo. Mergulhava rapidamente em uma crise. A Primeira Guerra Mundial, considerada um dos mais sangrentos episódios da história da humanidade.
    Rafaela A. Duso – 9° ano Jorge Amado – Colégio Ser ! Sorocaba

    ResponderExcluir
  6. EUROPA AS VÉSPERAS DA GUERRA MUNDIAL
    A Europa estava vivendo um momento de revolução industrial, econômica e cultural. Uma política imperialista que buscava mercados consumidores e fornecedores de matéria-prima.
    PAZ ARMADA
    Foi um momento de grande tensão entre os países, onde a tríplice aliança já estava equipada com armamentos e pronta para uma guerra que poderia acontecer.
    DISPUTA DOS BALCÃS
    Era a disputa pelo poder de territórios... Seu objetivo era cada vez mais ampliar suas conquistas. Esse foi um dos importantes elementos para o desencadeamento da 1° Guerra Mundial.
    SISTEMA DE ALIANÇAS
    Tríplice Entente: formada pelo Reino Unido e pela França, e em 1907 com a adesão da Rússia. Tríplice Aliança: formada pela Alemanha, império Austro-Húngaro e pela Itália.
    OS 3 PRINCIPAIS MOTIVOS DO DESENCADEAMENTO DA GUERRA MUNDIAL
    - a partilha de territórios
    - a concorrência econômica entre os países da Europa
    - o assassinato do arqueduque Francisco Ferdinando
    CONFLITOS (FASE FINAL):
    A Alemanha se rende, e com sua derrota ela teve que arcar com vários prejuízos que havia causado em outros países. Tanto que teve que devolver dois importantes territórios para a França.
    TRATADO DE PAZ
    A Alemanha teve que assinar o Tratado de Versalhes e foi obrigada a cumprir todos os termos do tratado.
    PÓS-GUERRA
    Apos a Guerra Mundial, a Europa entrou em crise... Já não era mais a mesma de antes. Havia perdido mais de 10 milhões de pessoas, os prejuízos causados eram incalculáveis e o mundo nem poderia imaginar que futuramente outra guerra iria acontecer...

    Júlia Loratto Vieira -- 9° ano J.A. -- Colégio Ser! Sorocaba

    ResponderExcluir
  7. O clima entre os países europeus já eram tensos, principalmente entre Alemanha, Itália, França e Inglaterra. Alemanha disputava contra Inglaterra para conseguir mais colônias na África e com a França por causa do território de Alsácia e Lorena ( fonte de ferro e carvão). Ja a Itália se unificou com a Alemanha pelos mesmos interesses econômicos.

    Paz armada foi quando os países decidiram se armar mas sem a intenção de guerra, apenas uma preparação caso houvesse uma. Era como um acordo entre os países “se eu não te atacar você não me ataca, mas se você atacar eu ataco”.

    A disputa dos Balcãs foi a disputa pela posse do território do Império Otomano entre Grécia, Bulgária, Sérvia, Montenegro, Romênia, Turquia. De um lado a liga Balcânica formada por Grécia, Sérvia, Bulgária e Montenegro do outro a Turquia, já a Romênia permanecia neutra. A liga capturou a região do antigo Império Otomano e mais tarde conflitos internos fizeram com que a Romênia ocupasse o território búlgaro. Este conflito acabou graças ao Tratado de Bucareste onde os territórios foram divididos devidamente.

    As alianças foram criadas pelos mesmos interesses econômicos: Alemanha, Itália e Império Austro-Húngaro formaram a Tríplice Aliança. França, Inglaterra e Rússia formaram a Tríplice Entente. Alterações ocorreram no decorrer da guerra.

    A morte de Francisco Ferdinando gerou uma guerra entre a Sérvia e o Império Austro-Húngaro. Esse conflito desencadeou a primeira guerra mundial

    A fase final da guerra foi quando os EUA entrou para a guerra após um navio norte-Americano ser atingido pelos submarinos alemãs. “A entrada dos estadunidenses na guerra trouxe uma vantagem decisiva para a Aliança no conflito, pois aumentaram os contingentes da Entente, que metodicamente, começaram a ser empurrados em direção as suas fronteiras”.

    Após a saída da Rússia, varias tentativas de paz foram propostas. A Alemanha aceitou o Tratado de Versalhes, que a culpava por danos de guerra nos territórios da Tríplice Aliança.

    Após a guerra podemos destacar os Estados Unidos e o Japão como os países que saíram ganhando de certo modo. Economicamente os EUA superaram a economia européia que estava gravemente devastada graças a guerra assim como o Japão que também teve um grande desenvolvimento econômico. Ja na Rússia houve a revolução de trabalhadores.

    Beatriz Martorell 9º Jorge Amado Colégio Ser!

    ResponderExcluir
  8. Estão encerradas as postagens referentes à Atividade de APE Trimestral. O artigo continua aberto para leitura e comentários.
    Prof.ª Marilia C C Coltri.

    ResponderExcluir